O apresentador Luciano Huck fez recentemente uma reportagem sobre uma visita ao Haiti. No texto, ele chega a dizer que a "humanidade não deu certo". A declaração irritou haitianos que moram no Brasil e viram o conteúdo, que além de ter sido postado em jornais e na internet, acabou sendo exibido durante o intervalo do jogo da seleção brasileira contra a do Haiti. Nesta segunda-feira, 20, um grupo de haitianos que vive em Curitiba decidiu "desmascarar" o marido de Angélica.

Eles criticam o fato do comunicador escolher apenas imagens do que há de mais ruim no Haiti, como a pobreza. Um vídeo mostrando a consternação e até uma página na internet contra a postura do contratado da TV Globo foram criados.

Publicidade
Publicidade

"Você prejudicou nosso país, mesmo que isso tenha sido feito sem querer", diz um dos homens que protesta em um vídeo que está nas principais redes sociais. 

A reportagem polêmica feita pelo comandante do 'Caldeirão do Huck' exibe o apresentador visitando a cidade de Port-au-Prince. Ele escolheu justamente um dos bairros mais pobres do país para visitar, Cite Soleil. O local é conhecido também pelos altos índices de violência. Os haitianos ainda criticam o fato da reportagem mostrar muitas imagens antigas, como a do terremoto que ocorreu em 2010. Apesar de criticarem o apresentador, o grupo de estrangeiros saiu do país justamente por buscar condições melhores no Brasil.

Desde o terremoto, diversos países trabalham em missão de paz para a Organização das Nações Unidas (ONU). O protesto contra Luciano Huck foi efetuado por estudantes de um programa da Universidade Federal do Paraná.

Publicidade

A instituição diz que a revolta partiu dos próprios alunos, que aprendem português no local. Só em Curitiba vivem entre cinco e seis mil haitianos. 

Os estrangeiros ainda reclamam do forte preconceito que todos acabam tendo por conta do país e lembraram que as imagens exibidas no Brasil acabaram sendo transmitidas também no Haiti, levando assim desesperança ao povo que já luta com dureza por dias melhores.  #É Manchete!