Um homem matou uma menina de apenas 9 anos, na cidade de Buenópolis, Minas Gerais, e ainda teve a coragem de arrancar o coração da garota. O crime chocou a todos e agora a polícia está fazendo de tudo para capturar o suspeito.

Raiane Aparecida Cândido tinha desaparecido na última quarta-feira (01/06) e a família estava desesperada, mas com esperança de encontrá-la bem. Infelizmente, não foi isso que aconteceu. A perícia informou que o corpo de Raiane apresentava uma perfuração bem no local do estômago e agora o material genético está sendo analisado para que se possa ter uma prova concreta sobre o assassino.

Jairo Lopes, 42 anos, é suspeito deste crime monstruoso e está foragido.

Publicidade
Publicidade

Ele já cometeu outros crimes e a polícia vem avisando a todos que ele é uma pessoa extremamente perigosa. Jairo estava residindo há apenas 2 meses na cidade mineira e usava um falso nome para não levantar suspeita.

A menina estava indo para a escola e quando chegou ao ponto onde pegava o veículo escolar foi abordada pelo homem. Ela não apareceu na escola e nem voltou para casa, deixando os pais preocupados. O pai de Raiane foi até a instituição saber o que aconteceu, e então foi informado que a menina ela não tinha ido à aula.

Desesperado, ele foi atrás do motorista que leva as crianças para a escola e ficou sabendo que a filha não tinha embarcado naquele dia.

A pior e mais dolorida notícia foi quando o pai soube que o corpo de sua filha tinha sido encontrado, já no dia seguinte, em uma fazenda, em um matagal.

Publicidade

Uma tia da criança contou à polícia que um dia antes do #Crime, o suspeito foi até a casa da família pedir emprego.

O velório de Raiane foi realizado na última sexta-feira (03) e, não só os familiares, como todos os moradores da cidade ficaram revoltados com a brutalidade do crime e pedem justiça. A criança foi abusada sexualmente e ainda teve o seu coração arrancado.

O suspeito, Jairo Lopes, morava a 5 quilômetros da casa onde a criança vivia com a família. No dia em que foi até o local pedir emprego, disse que se chamava Roberto e quis conversar com o pai de Raiane. A avó informou que o pai não estava, mas ele ainda demorou um pouco no local até resolver ir embora. A senhora não soube explicar à polícia se o suspeito teve contato com a garotinha no dia que foi à casa de sua família.

A menina era a caçula e tinha um irmão de criação, de 18 anos. Sua mãe faleceu recentemente, ficando sua criação sob responsabilidade da avó e do pai. Quem tiver alguma pista sobre o suspeito deve ligar para a polícia por meio dos telefones 181 ou 197. Não é preciso se identificar. #Violência #Casos de polícia