A onça, com apelido de Juma, que participou do evento de revezamento da tocha olímpica em Manaus, nesta segunda-feira (21), foi morta a tiros após avançar sobre um soldado durante a cerimônia. O animal teria fugido da coleira e uma equipe de veterinários especializados tentou o resgate disparando tranquilizantes, porém, mesmo dopada, a onça teria se deslocado em direção ao militar. O animal era mascote do Exército e foi acorrentado para exibição pública. O tiro foi efetuado no Centro de Instrução de Guerra na Selva (Cigs), após o evento olímpico. Outra onça chamada de Simba também havia sido acorrentada para a apresentação.

O Instituto de Proteção Ambiental do #Amazonas (Ipaam) informou que notificou o quartel militar sobre o ocorrido, e, caso o Comando Militar da Amazônia seja culpado, poderá receber uma multa que varia entre R$ 3.000,00 a R$ 300.000,00.

Publicidade
Publicidade

Ainda, dependendo da gravidade da situação, o Centro de Instrução de Guerra na Selva (CIGS) poderá ser fiscalizado. 

Em nota à Imprensa, o CMA informou que a onça teria escapado de dentro do Zoológico do Centro de Instrução de Guerra na Selva, o qual, no momento do ocorrido, estava fechado e vazio. A abertura do processo administrativo para apuração dos fatos já foi realizada pelo Comando do Centro de Instrução de Guerra na Selva (CIGS).

Estes felinos são usados com frequência para exibição em desfiles militares em Manaus, gerando uma apreensão por parte de pesquisadores, biólogos e veterinários. Apreendidos pelo Exército, quando encontrados em posse de caçadores ou em situações de cativeiro, os #Animais são adotados e usados para exibição, passando por treinamentos.

O biólogo João Paulo Castro declarou que a presença de muitas pessoas e barulho gera uma situação de estresse nestes animais e que muitos batalhões do Exército da Amazônia mantêm onças em cativeiro, algumas submetidas a condições precárias.

Publicidade

Castro considera lastimável a prática de domesticar estes animais selvagens e que deveriam ser introduzidos projetos para reintrodução destes ao ambiente natural ou refúgios, onde eles possam ficar em condições mais adequadas. #Natureza