Nelson Nahim Matheus de Oliveira foi preso nesta quinta-feira, 09, acusado de participar de um esquema de exploração sexual de menores. Nelson é irmão do ex-governador do Rio de Janeiro e ex-candidato à presidência, Anthony Garotinho. Ele também foi vereador e prefeito em Campos, município conhecido por ser "celeiro" político da família Garotinho.

Mais de uma dezena de presos. Dois foragidos da polícia

De acordo com informações do jornal Extra, Nelson foi um dos 12 presos acusados de participar de diversos crimes, como estupro e quadrilha armada. O ex-prefeito de Campos estava em casa quando foi preso. Duas pessoas não foram encontradas pela Polícia.

Publicidade
Publicidade

Ao todo, 14 mandados de prisões foram decretados. Os presos receberam condenações que chegam até a 31 anos de reclusão. 

Crime bárbaro no Norte Fluminense choca estado do Rio de Janeiro

O irmão de Garotinho ainda pode recorrer da decisão. Ele é investigado em um caso de grande repercussão, o 'Meninas de Guarus'. Garotas menores de idade eram contratadas para fazerem programas com políticos e empresários da região. A denúncia foi realizada pelo Ministério Público do Rio de Janeiro. As garotas que realizavam programas tinham entre 8 e 17 anos. Pela legislação brasileira, sexo, mesmo que consentido, com menores de 14 anos, é considerado #Crime de estupro de vulnerável, além também de poder ser visto como pedofilia. 

Dezenas de programas eram realizados diariamente por meninas de 8 anos

As vítimas chegavam a ficar completamente trancadas em uma casa, que tinha escolta armada.

Publicidade

Dali, elas só saíam com autorização. No local, as crianças e adolescentes eram obrigadas a ingerir drogas, como maconha, haxixe, crack e cocaína. Drogadas, nenhuma delas acabava rejeitando o sexo com os poderosos da região. Algumas crianças chegavam a ter até 30 relações sexuais em um único dia. Elas recebiam entre R$ 80 e R$ 300 para cada ato sexual. 

A pena do irmão de Garotinho foi de 12 anos de prisão. Ele é acusado de ter realizado sexo com uma garota de 15 anos.  #Investigação Criminal