O agente da PF, conhecido como Japonês da Federal foi preso nesta terça-feira (7), por causa de uma investigação da Polícia Federal conhecida como Operação Sucuri. De acordo com o portal de notícias G1, o Japonês da Federal está preso em Curitiba.

Japonês da Federal 

O agente da Polícia Federal Newton Ishii, que ficou conhecido do grande público no Brasil, depois de aparecer na TV em várias reportagens conduzindo presos na operação #Lava Jato, foi preso nesta terça-feira, na capital do Paraná. 

O mandato de prisão foi expedido pela Vara de Execução Penal Justiça Federal de Foz do Iguaçu, oeste do do estado. O agente está detido na Superintendência da Polícia Federal, em Curitiba. 

Ele foi condenado a quatro anos e dois meses de prisão, por causa das investigações da Operação Sucuri, desencadeada para averiguar a facilitação de entrada de contrabando no Brasil, por agentes da Polícia Federal.

Publicidade
Publicidade

Segundo o advogado de defesa do agente, Oswaldo de Mello Junior, o policial foi condenado em 2003.

As investigações apontaram que que agentes da PF se tornaram facilitadores para a livre entrada de contrabando no Brasil, pela fronteira com o Paraguai, em Foz do Iguaçu no oeste do Paraná. As investigações correm em segredo de justiça.

Lava Jato

Newton Ishii, o Japonês da Federal, também foi citado na Operação Lava Jato. Na gravação do áudio que levou o senador Delcídio do Amaral para prisão, o nome de Newton aparece algumas vezes.

Nas gravações em que Delcídio trama a fuga de Nestor Cerveró da carceragem da PF em Curitiba, o senador chegou a afirmar que o vazamento das informações da Lava Jato para imprensa, era de responsabilidade do "japonês bonzinho", referindo-se a um policial.

Na Ocasião a PF se manifestou, afirmando que iria investigar se Newton Ishii, estava envolvido no vazamento das informações.

Publicidade

Fama

Depois de aparecer conduzindo vários empreiteiros, doleiros, políticos, entre outros, presos na Operação Lava Jato, Newton Ishii ficou conhecido como o Japonês da Federal. A popularidade do agente cresceu de tal maneira que ele se tornou tema de uma marchinha de carnaval: "Ai meu Deus, me dei mal, bateu a minha porta, o Japonês da Federal" #Investigação Criminal #Casos de polícia