Atualização

A equipe da cantora disse que o site mencionado na reportagem publicou uma inverdade. Esse acabou sendo retirado do ar após a ação do staff da artista. Joelma se solidariza aos mortos no atentado dos Estados Unidos.

 


De acordo com o site 'Mixturando', a cantora Joelma, conhecida por ter feito par com Ximbinha durante anos na banda Calypso teria feito um comentário muito polêmico sobre o atentado que matou 50 pessoas em uma boate gay, nos Estados Unidos. O site diz que a cantora argumentou que as mortes dos homossexuais seriam uma vontade de Deus e que é preciso respeitar essa vontade. O site vai além, dizendo que a cantora, que nos últimos tempos tem se mostrado religiosa, teria revelado que acha que o mais correto seria esses jovens procurando igrejas e não boates.

Publicidade
Publicidade

"Deveriam estar na igreja", diz ela. 

"Deus nos chama todos os dias", continuou ela a supostamente comentar o crime. A Blasting News enviou mensagens paga a equipe de Joelma para confirmar ou negar as declarações. No entanto, até o fechamento desta reportagem, a cantora não havia respondido as tentativas de nossa equipe. Eu uma entrevista dada à Revista Época, em 2013, ela chegou a dizer que não era a favor do casamento homossexual.

De acordo com alguns relatos ela teria comparado os gays com drogados. Na mesma entrevista, Joelma teria dito que os gays eram capazes de se regenerarem, mostrando assim que existe um "cura" para a homossexualidade. Desde então, Joelma é vista como uma figura contra os gays. 

Em tempo: caso a equipe de Joelma ou a própria profissional queira espaço para desmentir ou falar o que realmente disse na entrevista dada ao 'Mixturando', o portal deixa sempre o espaço aberto. 

Tristeza e manifestações em todo o mundo por atentado

O atentado terrorista contra homossexuais em uma boate de Orlando repercutiu em todo o mundo.

Publicidade

Vigílias pelos mortos foram feitas nas principais cidades brasileiras, como São Paulo. As homenagens na maior cidade do país aconteceram na Avenida Paulista. O atirador disse antes de morrer que era do Estado Islâmico, no entanto, segundo o presidente americano Barack Obama, não foram encontradas evidências sobre tal fato.  #Terrorismo #Crime