Na tarde deste domingo, 12, o Senador eleito pelo Partido dos Trabalhadores, Lindbergh Farias, usou o Facebook para acusar o deputado federal Jair Bolsonaro, eleito pelo PSC, de ser um dos culpados pelo atentado terrorista que aconteceu nessa madrugada na cidade de Orlando, no estado da Flórida, nos Estados Unidos. 50 pessoas morreram e 53 ficaram feridas na ação realizada por um atirador de família afegã e Muçulmano. Até o fechamento desta reportagem, uma agência de notícias já havia reivindicado o atentado como sendo do Estado Islâmico. No entanto, a Polícia Federal americana ainda não conseguiu confirmar esse tipo de informação 

"É uma tragédia contra a humanidade", começa o Senador na mensagem publicada no Facebook.

Publicidade
Publicidade

Em seguida, ele acusa Bolsonaro e o candidato à presidência nos Estados Unidos, Trump, de serem culpados na tragédia. De acordo com ele, ambos são homofóbicos e querem ser presidentes de grandes nações. "Os porta-vozes do ódio, todos eles, são cúmplices do #Crime. Não adianta lavar as mãos", acusou o homem que é contra o impeachment da presidente Dima Rousseff.

Os comentários feitos por Lindbergh em sua conta no Facebook dividiram opiniões e causaram revolta online. Veja alguns dos comentários:

"O atirador, ativista do Estado Islâmico foi morto pela policia da Flórida.Se fosse aqui, estaria protegido dos direitos humanos e viraria celebridade escrevendo algum livro."

"É a cultura islâmica homofóbica que ordena a execucão de gays. A mesma cultura que a esquerda tanto defende que se espalhe pelo mundo, inclusive, no Brasil."

"Legal, senador Você só se "esqueceu" de falar que o assassino era um extremista islâmico, um grupo que o Bolsonaro quer manter fora daqui do Brasil e gente como você defende."

" O FBI anunciou que investiga o caso como um ato terrorista, considerando que o suspeito poderia ter “inclinação” pelo terrorismo islâmico.

Publicidade

Aqui no Brasil o Lindbergh tem mais informações e irá colaborar com as investigações."

Veja abaixo o comunicado feito por Lindbergh: 

#PT