O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva apresentou nesta quinta-feira, 23, uma reclamação no Supremo Tribunal Federal (STF) contra a TV Globo. Ele não gostou de uma reportagem exibida durante o 'Jornal Nacional' do dia 10 de março, pouco mais de um mês antes da Câmara dos deputados aprovar o prosseguimento do impeachment da presidente afastada Dilma Rousseff. De acordo com o ex-presidente, não houve direito dele se defender das matérias exibidas pelo noticioso. Por conta disso, o apresentador William Bonner ou outro telejornalista podem ser obrigado a ler um discurso favorável ao petista, o famoso "direito de resposta". 

A reportagem que irritou o petista mostrava uma denúncia exibida por promotores do Ministério Público de São Paulo.

Publicidade
Publicidade

Além de #Lula, são alvos da denúncia a ex-primeira dama, Marisa Letícia, e mais 14 pessoas. Um dos pontos mais famosos e comentados sobre a apuração do Ministério Público é o uso de um Tríplex no Guarujá, litoral de São Paulo. A acusação é de que o ex-presidente comprou o imóvel, mas escondeu o patrimônio. No mesmo período, o órgão de apuração de São Paulo chegou a pedir a prisão preventiva do líder do Partido dos Trabalhadores.

Dias depois, a presidente Dilma empossou Lula no Ministério da Casa Civil. Ela foi acusada por opositores de tentar salvar a pele do companheiro político, já que o cargo dava a lula foro privilegiado, fazendo com que ele pudesse ser apenas julgado pelo STF. A justiça anulou dias depois a posse de Lula, mas ele ficou tecnicamente com o foro privilegiado até o afastamento de Rousseff.

Publicidade

O Supremo ainda não julgou a posse de Lula. 

De acordo com os advogados de Lula, o 'Jornal Nacional' não deu o direito de Lula de dar sua versão de tudo o que aconteceu. Com isso, ele pode ter direito ao mesmo tempo de exibição da matéria. Casos como esse, costumam ficar anos na justiça, mas o Supremo tende a dar respostas mais rápidas. Quem dará a resposta é o Ministro Edson Fachin. Não há um prazo para que essa resposta seja dada. O UOL não diz ter procurado a TV Globo. #PT