Na noite desta quarta-feira, 30, o pastor evangélico da Igreja Vitória em Cristo, Silas Malafaia, acabou chocando muitos brasileiros ao revelar que teria provas contra o ator José de Abreu. O caso foi repercutido nesta quinta-feira, 30, pela jornalista Vera Magalhães, que revelou que a qualquer momento tais provas seriam divulgadas pelo religioso. A revelação de Silas foi realizada pelo Twitter. No microblog de 140 caracteres, ele comentava a operação 'Boca Livre', na qual a Polícia Federal investiga empresas que desviaram irregularmente recursos que deveriam ter sido realizados com a Lei Rouanet.

Os recursos do #Governo são abdicados com o não pagamento de imposto (um percentual que varia de 4 a 6% de pessoas físicas e jurídicas), fazendo com que essa verba deixe de ir para outras áreas e beneficiando o Ministério da Cultura. Malafaia usou as redes sociais para reclamar que quem usa a Lei Rouanet são artistas famosos, que supostamente teriam capacidade de realizar financiamentos com recursos próprios, não necessitando assim da Lei Rouanet. 

No microblog de 140 caracteres, Silas Malafaia citou o ator José de Abreu, que confessa publicamente ser do Partido dos Trabalhadores (#PT).

Publicidade
Publicidade

Abreu é conhecido por travar grandes brigas na internet e também por ter cuspido em um casal opositor em um restaurante de São Paulo.  O pastor evangélico disse que tinha provas que José de Abreu estaria inadimplente com a Lei Rouanet, mas que mesmo assim continuava a receber o incentivo da legislação, o que pela lei em questão é proibido. 

Após muito disse me disse, o religioso disse que iria provar sua fala. De acordo com a jornalista Vera Magalhães, Malafaia estaria falando sobre os espetáculos 'Fala Zé - Turnê Sul e Sudeste'. O projeto em questão foi aprovado pelo Ministério da Cultura há dez anos e proposto pela ex-esposa do profissional da dramaturgia, Camila Paola Mosquella. O site do Ministério confirma que a situação do projeto em questão está inadimplente, mas a última atualização é de 2011. 

Para realizar os shows teatrais, o projeto de Abreu recebeu quase R$ 300 mil, repassados pela Petrobrás.