O estupro coletivo de uma menina de 16 anos no Rio de Janeiro desencadeou uma série de notícias envolvendo crimes com menores de idade. Esses sempre existiram, mas passaram a despertar uma atenção maior do público por conta do caso chocante com a adolescente. Neste quinta-feira, dois menores, no entanto, surpreenderam a polícia. Um deles, de apenas dez anos de idade, acabou morto com tiros pela Polícia Militar de São Paulo. A PM diz que o garoto e outro menino, de 11 anos, atiraram contra os profissionais da segurança. O menino de 11 foi apreendido. Ele teria ajudado o amigo, já morto, a roubar um carro e atirar nos policiais. Com ele, uma pistola calibre 38 foi apreendida. 

Em reportagem exibida nesta sexta-feira, 03, no 'Bom Dia São Paulo', policiais tentaram explicar o que tinha acontecido.

Publicidade
Publicidade

De acordo com eles, o assassinato do menino ocorreu por volta das 19h. Os PMs avistaram a dupla roubando um carro no bairro de Vila Andrade. No momento do furto, os policiais faziam um patrulhamento da rua. Após roubarem o carro, os garotos decidiram trocar tiros com os seguranças. Nesse momento, um deles perdeu o controle do veículo e acabou batendo em um ônibus.

Ao tentar abordar os garotos, novos tiros foram disparados. A Polícia revidou. Na troca de tiros, o menino de dez anos foi atingido e morreu no local. O outro foi detido e levado para uma delegacia. O caso volta a abrir a necessidade ou não de rever a maioridade penal no Brasil, mas não só isso, fazer um sistema carcerário que seja capaz de ajudar a recuperar esses jovens. 

O menino de 11 anos confirmou a história divulgada pela Polícia.

Publicidade

A mãe do menino morto, que também tem passagem na Polícia disse que não conseguia conter a criança. O pai dele está preso. Ao sair da delegacia, o menino de 11 anos usava um casaco vermelho, com o qual tapava o rosto dos jornalistas que faziam plantão no local. Ele saiu correndo na rua, mas estava acompanhado de uma assistência social. O Conselho Tutelar e a justiça devem cuidar agora do caso.  #Crime