Na madrugada desta sexta-feira, 03, um crime chocou o estado da Bahia. Um morador de rua foi queimado enquanto dormia. O homem não identificado por sorte não morreu. No entanto, os ferimentos foram graves, atingindo mais de 50% do seu corpo. Ele foi atingido por três homens em Salvador, a 400 da Assembleia Legislativa do estado. Por ser uma área central, muitos moradores de rua dormem no local. As primeiras informações sobre o caso são da Polícia Militar. 

De acordo com o site de notícias G1 em matéria publicada neste sábado, 04, a vítima dormia embaixo do viaduto Avenida Paralela, uma das mais conhecidas da região, quando acabou sendo agredida.

Publicidade
Publicidade

O #Crime aconteceu a menos de 1 Km do Palácio do governo, onde trabalha o governador do estado, Rui Costa. A Polícia tenta entender o crime. Não está descartado que as investigações ouçam testemunhas e possam procurar câmeras de segurança na região.

Antes de ser queimado vivo, o morador de rua acordou sofrendo grave agressão. Os três homens deram pauladas na cabeça dele, jogaram um líquido inflamável e em seguida atearam fogo. Desesperado, o homem tentou apagar as chamas do próprio corpo. Os três homens fugiram do local do crime. Minutos depois, a Polícia passou pelo local e encontrou o morador de rua ferido. Durante a madrugada, profissionais de segurança realizaram rondas na região, mas nada de anormal foi encontrado. O morador pode fazer o retrato falado de seus agressores. 

Ainda não há informações do que pode ter levado à agressão que chocou a Bahia.

Publicidade

No entanto, infelizmente, crimes como esse são comuns em regiões nobres. Muitos moradores não gostam de conviver com moradores de rua. 

Por conta dos ferimentos do sofredor de rua, o Serviço de Atendimento do Samu foi chamado. O homem, que não teve nome identificado, foi levado para o Hospital Geral do Estado. Até o fechamento desta reportagem, ainda não existiam informações sobre o estado de saúde da vítima. Mesmo ferido, o homem conseguiu conversar com os agentes da lei e ligou para a mãe.  #Investigação Criminal