18 pessoas morreram e dezenas ficaram feridas em um #Acidente que ocorreu na Rodovia Mogi-Bertioga, em São Paulo. O acidente ocorreu por volta das 23h no horário de Brasília desta quarta-feira, 08, mas dois dias depois muitos depoimentos são desencontrados. De acordo com informações de sobreviventes e de familiares das vítimas, o motorista estaria com o ônibus fora de controle. Ele também morreu na batida. Uma mãe chegou a dizer à TV Globo que ouviu uma discussão dos universitários com o condutor do veículo. Uma estudante também disse que o motorista corria muito.

A família do motorista nega que ele seja imprudente. De acordo com parentes dele, havia muita neblina na hora da batida.

Publicidade
Publicidade

Um familiar chegou a dizer que  o condutor ligou para avisar que chegaria mais tarde. A perícia preliminar indicou que o homem estava a 41 Km/H na hora do acidente, quando a velocidade máxima permitida no trecho é de 60 Km/h. A destruição da condução espantou até mesmo policiais, que chegaram a dizer que parecia ali ter ocorrido um atentado terrorista.

Nesta sexta-feira, 10, uma testemunha contou o que viu à Folha de São Paulo. Cézar Donizetti Vieira, de 54 anos, passava pela Serra onde tudo ocorreu, quando notou que o motorista queria ultrapassá-lo. Ele revelou que foi atingido pelo ônibus quando fazia uma curva e que o veículo tentava ultrapassá-lo desde o começo do trajeto na Serra. "Ali só cabe um", disse a testemunha ao detalhar as condições da pista.

Em seguida, após bater no carro, o motorista do ônibus perdeu o controle do veículo e bateu em um rochedo.

Publicidade

Este chegou a ficar destruído devido à pancada forte. O impacto com uma pedra ajuda a explicar tamanha destruição, já que o veículo trafegava em velocidade considerada baixa. Cézar Donizetti Vieira disse que não ouviu barulho de freio e não sabe explicar se o motorista já tinha perdido o controle da máquina.

Um dos sobreviventes relatou que "há seis curvas", o ônibus já parecia estar descontrolado. Ele revelou gritar para que todos colocassem os cintos de segurança e que se agarrou no banco da frente.  #Investigação Criminal