De acordo com informações do portal de notícias da Globo, o G1, em reportagem publicada nesta sexta-feira, 04, uma mulher foi estuprada por dois homens em uma acampamento do Movimento dos Sem Terra (MST). Os detalhes do caso não são muitos. A vítima não teve nome identificado pela Polícia Militar, que informou que ela tem 42 anos e faz parte do movimento. De acordo com os profissionais de segurança, os homens que realizaram a atitude criminosa bárbara seguem foragidos. Não foram divulgados suspeitos do caso, nem retratos falados. 

A mulher que pertence ao grupo que defende a permanência da presidente afastada Dilma Rousseff estaria bêbada quando tudo aconteceu.

Publicidade
Publicidade

Segundo a vítima estuprada, ela estava bebendo em um bar, quando um homem a convidou para visitar um dos barros do MST. No entanto, ao chegar ao local, ela descobriu que outro homem também esperava a dupla, querendo realizar um ménage. 

A vítima passará por exame de corpo de delito no Instituto Médico Legal (IML) da região. Ninguém foi preso até esta sexta-feira. A Polícia ainda fazia investigações para ver em que linha a apuração seguiria. 

O caso aparece depois de um estupro coletivo que chocou o Brasil e o mundo. Uma menina de 16 anos, moradora do Rio de Janeiro, acabou sendo estuprada por um grupo formado por cerca de 33 homens. O #Crime aconteceu no Morro do Barão, em Jacarepaguá, Zona Oeste do Rio de Janeiro. A Polícia prendeu três suspeitos. No entanto, um deles, ex-namorado da vítima, conseguiu a liberdade.

Publicidade

O solto é Lucas Perdomo, Jogador de futebol do BoaVista. Ele nega qualquer participação no estupro. A Polícia confessa que não existiam provas suficientes para manter Lucas preso, mas que o atleta seguiria sendo investigado. Antes de ser solto, ele chegou a ser levado para a Penitenciária de Bangu. A prisão do jogador também foi dramática, sendo efetuada justamente quando ele dava uma entrevista para o SporTV. Lucas não sabe o que fará no futuro, já que o contrato dele com o BoaVista foi cancelado depois da prisão.  #Investigação Criminal