Era para ser mais um culto normal de uma igreja evangélica localizada no município de Lucas do Rio Verde, distante 250 Km da capital do Mato Grosso, Cuiabá. No entanto, entre uma oração e outra, uma mulher de 47 anos se rebelou contra o pastou da congregação. Ela jogou um balde de cocô e urina nele. Os outros fiéis ficaram espantados com a situação. De acordo com informações do G1, a mulher acabou indo parar na cadeia. Aos policiais, ela disse que não estava mais feliz na igreja e que era menosprezada por outros evangélicos. Tudo porque os religiosos zombavam dela pelo fato de ser mãe solteira. 

A mulher presa não trabalha.

Publicidade
Publicidade

De acordo com ela, o menosprezo também era manifestado pelo pastos da igreja. Nenhum dos nomes envolvidos foi revelado pela Polícia Civil da região. O líder da congregação a trataria de forma depreciativa por ela não ter marido e cuidar do filho sozinha. O que teria irritado ainda mais a mulher é o fato do pastor ter supostamente dito que ser mãe solteira era pecado. A dona de casa, irritada com o discurso de que poderia ir para o inferno, decidiu reagir. 

Na Polícia, a mulher disse ainda que esse tipo dos colegas de igreja a deixou muito deprimida. Em entrevista ao G1, o delegado Walter de Melo comentou o caso. Segundo ele, a criminosa alegou que era inadequada a forma como todos agiam. A fiel teria pedido que não tratassem ela assim, já que ela apenas estaria ali atrás de Deus. No entanto, ninguém parece ter ouvido ela, o que a fez tomar uma atitude mais forte. 

O delegado disse que a suspeita pode ter problemas mentais.

Publicidade

Ela planejou durante semanas a vingança. Em um balde, a evangélica fez as necessidades fisiológicas até deixar tudo bem cheio. Aproveitando que a igreja estava lotada, ela subiu na parte superior do altar. Lá, ela jogou o balde no pastor e em outras pessoas que rezavam. Diversos fieis recorreram os hospitais da região afim de saber se poderiam pegar alguma doença por terem contato com as fezes e a urina da mulher. Ela foi solta e responderá em liberdade, #Crime #Investigação Criminal