No mês passado, um estupro envolvendo um adolescente de 16 anos chocou todo o país e o mundo. A adolescente revelou à Polícia que foi abusada por 33 homens. Um vídeo envolvendo alguns deles foi postado nas redes sociais. Apesar da investigação sobre o caso ainda estar em curso, investigadores já deram certeza que houve sim o estupro. Nesta quarta-feira, 1º de junho, um grupo de mulheres fez um protesto inusitado no Centro do Rio de Janeiro. Com cartazes sobre o caso, elas se manifestaram contra a "cultura de estupro" e falaram sobre o machismo. O caso com a menor de idade gerou uma discussão nas redes sociais.

Algumas das mulheres estavam com a parte de cima do corpo nu.

Publicidade
Publicidade

Outras usaram uma espécie de "tapa sexo" nos seios, evitando a acusação de atentado ao pudor. No entanto, fotos divulgadas na imprensa mostram pelo menos duas delas sem nenhum tipo de proteção. O objetivo do protesto foi dizer que a mulher impõe as regras sobre o próprio corpo, escolhendo quem pode ou não tocá-lo. Algumas das manifestantes utilizavam uma espécie de "faixa de segurança" utilizada pela polícia. Estas foram enroladas nos corpos delas. 

"Quando eu acordei, tinham 30 homens em cima de mim", disseram elas 30 vezes, fazendo uma referência ao estupro sofrido pela menina no Rio. Ela, na verdade, revelou que foram 33 homens e não 30, como foi entoado pelo grupo feminista no Rio de Janeiro. O protesto envolvendo mulheres praticamente nuas chamou a atenção de quem passava, especialmente porque a ação foi justamente no horário do fim do expediente.

Publicidade

Atualização de caso polêmico

A menina vítima do estupro não mora mais no Rio de Janeiro. Ela entrou no Programa de Proteção às Vítimas. O estado onde ela agora reside não foi informado. O motivo da mudança foi o grande número de ameaças contra a menor de idade. A menina tinha amizade e relações íntimas com pessoas envolvidas com o tráfico de drogas do 'Morro do Barão', em Jacarepaguá, na Zona Oeste da Cidade. A adolescente tem um filho de três anos. O pai da criança está na cadeia.  #Governo #PT #Dilma Rousseff