Lucas Perdomo Duarte dos Santos está detido na Cidade da Polícia desde segunda-feira, 30 de maio. A Polícia Civil e a Secretaria de Estado de Administração Penitenciária (Seap) decidiram não levar o ex-jogador de futebol do Boavista para o Complexo Penitenciário de Bangu. A decisão foi motivada por um medo dos investigadores em que Lucas seja morto por outros presidiários. Isso acontece por conta da repercussão do caso. A Cidade da Polícia, onde Lucas está, fica localizada no Jacarezinho, Zona Norte da cidade. 

A preocupação com a segurança do jovem é grande. Além disso, investigadores não tem certeza se Lucas realmente cometeu o #Crime.

Publicidade
Publicidade

A menina teria dito que o ex-namorado participou do estupro coletivo envolvendo mais de 30 homens depois que o nome dele apareceu na imprensa. Uma conversa registrada pelo WhatsApp exibe troca de mensagens da adolescente de 16 anos e uma amiga. Ela questiona a garota se o namorado teria cometido o crime. A amiga então diz que a vítima estava ficando louca e que ele nem sabia de nada. Lucas é chamado na conversa de "Petão". 

De acordo com o jornal O Globo, no entanto, a transferência de Lucas pode acontecer já nas próximas horas. Lucas foi preso enquanto dava uma entrevista para o SporTV. Ele não ofereceu resistência aos policiais. Por conta da prisão, o clube onde o jogador trabalhava, o Boavista, rescindiu o contrato. Ele era um dos principais nomes do time e estava sendo sondado pelo Audax, de São Paulo. 

Outra polêmica que envolve a investigação da vítima de estupro é o fato da menina ter sido transferida de estado.

Publicidade

Isso implica na falta de acareação entre ela e os suspeitos. Nenhum dos envolvidos confirma que efetuou o estupro. Dois dos rapazes confessam que fizeram fotos e um vídeo com a jovem desacordada. Nenhum deles coloca Lucas na cena do crime. A família do jogador de futebol está revoltada. 

Manifestantes chegaram a fazer um protesto no Morro do Barão, onde o crime teria ocorrido. A comunidade fica em Jacarepaguá, Zona oeste do Rio de Janeiro.  #Investigação Criminal