No último mês, tem sido feita uma grande mobilização nas redes sociais para ajudar um menino de 8 anos de idade, morador da cidade de Montes Claros, em Minas Gerais. Lucas Costa foi diagnosticado ao nascer com uma #Doença rara, conhecida como Epidermólise Bolhosa, que causa ferimentos na pele. O caso começou a ganhar repercussão após a blogueira e publicitária, Letícia Turano, criar um perfil com fotos dele em uma rede social. A página “Amigos do Lucas Costa”, que teve sua primeira publicação em 31 de maio, já tem mais de 84 mil seguidores. Muitas pessoas, inclusive famosos, ficaram sensibilizadas com a história do menino. Wesley Safadão, Carolina Dieckman, Mariana Rios, Tatá Werneck e Neymar já se juntaram nesta causa em prol do garoto, e pediram ajuda em suas redes sociais.

Publicidade
Publicidade

Neymar é o grande ídolo do Lucas.

Entenda a doença

A doença Epidermólise Bolhosa se caracteriza pela formação de bolhas na pele, mediante qualquer tipo de trauma, toque ou atrito. Isso acontece, pois nos portadores da doença existe um “defeito” nas estruturas que unem a parte externa da pele, epiderme, e a derme, camada interna. Lucas apresenta a forma distrófica recessiva, um dos tipos mais graves. É importante esclarecer que não é um tipo de doença contagiosa, tem um caráter hereditário e genético.

História do Lucas

De acordo com os pais do menino, Hélio Costa e Vanessa Costa, ao nascer, Lucas pegou uma infecção generalizada por causa das feridas e ficou 28 dias internado. Para os médicos ele nem sobreviveria. Após vencer essa primeira grande batalha, os pais se dedicaram a procurar formas de amenizar o sofrimento do filho, visto que a doença não tem cura, e o #Tratamento se baseia em aliviar a dor das feridas e evitar o agravamento das lesões.

Publicidade

Depois de seis anos e meio de muita luta, trocas e mais trocas de curativos feitos com material importado, que eram dolorosas para o menino, uso de muitos antibióticos devido às infecções em algumas feridas, os remédios chegaram ao ponto de nem fazer mais efeito; teve até que fazer duas transfusões de sangue por mês, pois perdia muito sangue, os pais ficaram sabendo, através de outra mãe que tinha um filho nas mesmas condições, sobre um creme produzido nos #EUA.

Após um ano e meio de uso do creme, o resultado foi surpreendente. Lucas teve uma melhora na qualidade de vida significativa. Conseguiram um avanço no tratamento não conseguido até então.

Objetivo da campanha

O menino faz uso de 8 a 10 potes do creme por dia, e a família não tem condições de comprar. Cada pote custa em média U$ 35 dólares.

A família já conseguiu, na justiça, que o governo brasileiro banque os custos com o tratamento, mas, enquanto isso não acontece, o Lucas não pode esperar, pois, cada dia sem a pomada, é um dia a mais de sofrimento.

Publicidade

Por isso, surgiu a ideia da campanha para que ele não pare o tratamento que tanto benefício tem lhe proporcionado. 

Para aqueles que quiserem conhecer um pouco mais da história de vida do Lucas Costa, e puder e/ou quiserem ajudar, é só acessar a página "Amigos do Lucas Costa", no Facebook ou Instagram.