O governo interino de #Michel Temer vem recebendo críticas contumazes da #ONU - Organização das Nações Unidas desde que resolveu capitanear a transição da CGU - Controladoria-Geral da União para o Ministério da Transparência, Fiscalização e Controle. As críticas dos estrangeiros não param por aí, uma vez que também fizeram questão de indagar o porquê da "interferência", segundo eles danosa, de Temer e seu governo na EBC - Empresa Brasil de Comunicações. 

Enfim, nessas poucas semanas do novo governo no Brasil, é fato que o país está longe de alcançar o que pode ser entendido como unidade nacional não só internamente, mas também junto à comunidade internacional, pois os comentários ácidos sobre o que vem acontecendo no país, encontram coro, além da ONU, junto a Comissão Interamericana de Direitos Humanos, que diz estar em estado de alerta sobre a ingerência na liberdade dos brasileiros e seus meios de comunicação. 

Nem mesmo as tentativas dos diplomatas brasileiros de estancar tais comunicados negativos sobre o governo de Temer deram certo, pois Tanto David Kaye, quanto Edison Lanza, respectivamente relator das Nações Unidas sobre a Promoção e Proteção do Direito à Liberdade de Opinião e Expressão e o outro, relator Interamericano para a Liberdade de Expressão, sugerem o retrocesso vivido no país em relação aos “últimos anos”. 

Kaye afirmou textualmente: “as Organizações que proporcionam o acesso à informação e promovem a prestação de contas devem ser protegidas de interferências políticas.

Publicidade
Publicidade

Qualquer alteração no funcionamento da antiga CGU deveria visar torná-la mais autônoma e independente de determinações do Poder Executivo", todavia ocorre justamente o contrário em relação a esse pronunciamento.

Outro campo controverso para o Brasil refere-se à substituição de Pedro Varoni, diretor da EBC. Kaye vem novamente a público revelar que as autoridades internacionais estão atentas as “preocupações expressadas pelo Governo sobre a situação econômica da EBC”, mas substituir Varoni por uma dissidência ideológica não é o aconselhável, daí, esses mesmos representantes congratularem o ministro Dias Toffoli do STF de re-encaminhar Pedro Varoni ao seu cargo anterior na EBC. 

A mesma opinião foi apregoada por Lanza, o relator Interamericano para a Liberdade de Expressão, ao dizer que conforme as leis internacionais, os Estados deveriam se preocupar sim que “os serviços públicos de radiodifusão” sejam independentes do governo central para garantir a chamada liberdade nas edições. 

De acordo com informações oficiais, ambos os relatores estão dialogando com o governo de Michel Temer a fim de garantir a adequação das ações tomadas pelos líderes políticos daqui para frente ao que se é esperado internacionalmente no que diz respeito “à liberdade de opinião e expressão". 

Permanece Michel Temer como o “novo” presidente do Brasil ou #Dilma Rousseff deve retornar ao poder como presidente eleita?! As escolhas devem ser feitas! O mais importante de tudo isso é que o Brasil e o seu povo possam ser preservados nesse momento de profunda alteração no cenário mundial.

Publicidade