A Presidente afastada Dilma Rousseff voltou a reclamar que sua verba para alimentação foi cortada nesta terça-feira, 07. Para evitar que a petista pudesse passar fome, um garoto de nove anos, de nome Francisco, deu à ela dois bombons. Dilma disse que ficou muito emocionada e que comeria aquele presente muito feliz. No Facebook, Rousseff escreveu: "nunca vou esquecer". Antes disso, ela disse que a generosidade infantil impressionava. No saco dos bombons havia um bilhete com "Fora Temer". Não se sabe se foi o menino que colocou o papel ali. Ele não foi fotografado com Dilma, apenas o saco com o doce. 

A atitude de Dilma causou revolta, especialmente porque boa parte dos eleitores já sabia que ela gasta mais de R$ 60 mil com despesas alimentares.

Publicidade
Publicidade

"BanDillma vc devia agradecer a Deus de ainda não ter sido presa, então para de reclamar", disse um internauta extremamente revoltado. "Meu Deus, usa até a ingenuidade de uma criança para fins pessoais. Agora fala com a mesma criança que vai dar 5 reais para ela se ela mandar você ir pra cadeia", lembrou outra seguidora da presidente. 

Dilma gastava muito só para comer

Nesta terça-feira, a coluna 'Painel', da 'Folha de São Paulo', publicou os gastos de Dilma só com comida. Neste ano, a representante do Partido dos Trabalhadores (PT) teve média mensal de R$ 62 mil na aquisição de suplementos pessoais e também para encher as dispensas do Palácio do Alvorada. No Facebook, a presidente afastada avisou que enviou uma mensagem ao Senado e ao Supremo Tribunal Federal, na qual pede que os benefícios à ela sejam  devolvidos.

Publicidade

Além dos cortes feitos pela equipe do presidente em exercício Michel Temer (PMDB) no cartão suplemento, viagens que Dilma fazia através de aviões da Força Aérea Brasileira (FAB) também foram proibidos. Agora a companheira do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva só pode ser transportada entre o Rio Grande do Sul e Brasília. O advogado da petista, José Eduardo Cardozo, avisou que ela vai viajar, mesmo após a imposição.  #Dilma Rousseff #Impeachment