Neste domingo, 19,um protesto foi realizado por um grupo a favor da presidente afastada Dilma Rousseff em pleno voo. A aeronave em questão levava os deputados Paulinho da Força (Solidariedade) e Beto Marsur (PRB) de São Paulo para Brasília. A gritaria começou quando o avião já teria decolado. Isso pode atrapalhar a segurança. Aeromoças tiveram que intervir na situação e solicitar que os manifestantes ficassem quietos. Paulinho e Beto ficaram ainda mais conhecidos por no dia 17 de abril votarem "sim" pelo prosseguimento do processo de impeachment de Dilma. A votação teve ao todo 367  votos favoráveis à questão. 

Em entrevista ao portal de notícias G1, o deputado Mansur informou que o grupo que protestava fazia parte do sindicato do Banco do Brasil, que é estatal e nos últimos 13 anos foi coordenado por uma administração petista.

Publicidade
Publicidade

Mansur estava na primeira fileira do avião. Já Paulinho da Força estava um pouco mais atrás. Ele conta que o passageiro se levantou no meio do voo para atacar Paulinho. Com uma Câmera na mão, ele gravou tudo o que ocorria. O homem diz que Força é "golpista". Enquanto isso, o parlamentar sequer olha para o manifestante. Ele, inclusive, pega uma das revistas e começa a folhear, mostrando que não está nem um pouco importado com o grupo. 

No vídeo, os manifestantes ironizam o nome do deputado, chamado-lo de "Paulinho da Farsa". O parlamentar também foi chamado de "fascista". Outro vídeo mostra Mansur batendo boca com os manifestantes. Ele disse que foi defender o amigo. "Eu não achei certo aquilo. Eu comecei a dizer que fascistas eram eles, que quem tinha dado voto [para a Dilma] foram eles", revelou o deputado mostrando irritação total.

Publicidade

O grupo só sossegou a #Manifestação depois que um grupo de comissários de bordo disse que chamaria a Polícia Federal assim que a aeronave pousasse. O deputado Paulinho da Força teria preferido não comentar o protesto. Ninguém acabou detido por conta da ação dos manifestantes. 

Veja abaixo o vídeo com o protesto polêmico:

#PT #Protestos no Brasil