Dirigentes do Partido do Trabalhadores (PT) estão desanimados com a presidente afastada Dilma Rousseff. A irritação é tanta, que a militância do passado deu lugar à uma atitude avassaladora: petistas falando mal de uma representante da legenda. Os argumentos de que a companheira política do ex-presidente Luiz Inácio #Lula da Silva é ruim de discurso são muitos. Durante as viagens, mesmo depois de mais de um mês do afastamento concretizado pelo Senado por 55 votos, Rousseff continua usando como principal tese o fato de que acha que o impeachment é um "golpe parlamentar". 

Enquanto o discurso não cola, o presidente em exercício Michel Temer, do PMDB, cresce no cenário nacional e fica mais conhecido.

Publicidade
Publicidade

Dilma ao invés de fazer propostas para a possível, mas improvável volta, continua se fazendo de grande vítima. Nem mesmo a mídia tem dado muito espaço para os seus discursos. De acordo com a colunista Vera Magalhães, do site da Revista Veja, em reportagem publicada nesta sexta-feira, 24, o principal motivo do inconformismo por parte dos aliados é com o fato de a presidente afastada não acenar com nenhuma mudança de atitude ou medida concreta caso, quem sabe, ela consiga retornar ao posto que tanto sonha. 

Em entrevistas dadas a jornalistas internacionais, Dilma diz que está otimista, mesmo quando até ela diz precisar de seis votos para reverter o jogo do impeachment. A sessão que julgará se ela cometeu ou não o Crime de Responsabilidade através das chamadas "pedaladas". “Ela só fala que foi vítima e dá a impressão de que quer voltar só para convocar nova eleição.

Publicidade

Assim fica difícil virar algum voto ou angariar simpatia”,  disse em entrevista à jornalista Vera Magalhães um petistas que trabalha na linha de frente de Dilma. 

O desânimo dos militantes da legenda não é fato novo. Até mesmo a Folha de São Paulo chegou a publicar uma matéria que dizia que o ex-presidente Lula queria vir no lugar de Dilma na campanha à reeleição. Parecia que ele estava prevendo tudo o que viria a acontecer, não é mesmo?  #PT #Dilma Rousseff