Nesta terça-feira, 28, mais uma operação da Polícia Federal foi deflagrada em diversos estados brasileiros. A 'Boca Livre' apura o pagamento de artistas de forma ilegal e o desvi de recursos de projetos culturais, que são conseguidos através da Lei Rouanet, que isenta empresários de pagarem uma porcentagem de impostas. "Coxinhas ricos devem estar apavorados. A verdade tarda mas não falta. Quero ver engolirem o que disseram de mim", publicou em seu Twitter oficial o ator José de Abreu. Ele acabou sendo acusado na internet de ser um dos artistas que receberia ilegalmente o dinheiro.

Em uma entrevista ao apresentador Fausto Silva, no entanto, José de Abreu revelou que não gosta de usar a Lei Rouanet porque ela é muito complexa e que seus ganhos vem como assalariado da TV Globo.

Publicidade
Publicidade

A Fala de Abreu gerou muita polêmica na época, assim como o seu novo Twitter. Ele chegou a afirmar em outro posto que nenhum petista estaria envolvido nas operações. Nos últimos tempos, a maior parte das operações da Polícia Federal com políticos acabaram tendo figuras do Partido dos Trabalhadores (PT) em seu eixo central. 

Entre os projetos que estão sendo verificados está uma festa de casamento, shows privados com dinheiro público, compra de livros que nunca chegaram e apresentações teatrais que nunca foram presas. Um grupo criminoso teria atuado no Ministério da Cultura por quase vinte anos, diz a investigação da Polícia Federal. Desse tempo, pelo menos 14 durante o governo do PT, mas pegando também a era Fernando Henrique Cardoso, do PSDB. Ao todo, esse grupo teria conquistado irregularmente R$ 170 milhões. 

Pelo menos 14 pessoas devem ser presas temporárias em Brasília, Rio de Janeiro e São Paulo.

Publicidade

Também foram expedidos outros 37 mandados de busca e apreensão. Os Políticos brasileiros já discutem na Câmara dos deputados uma Comissão Parlamentar de Inquérito da Lei Rouanet. Muitos artistas criticaram a investigação e chegaram a ir no Congresso Nacional reclamando contra a presença de alguns deputados.  #Crime #Investigação Criminal