De acordo com uma ampla reportagem publicada nesta quarta-feira, 29, pelo jornalista Fausto Macedo, a Polícia Federal desconfia que funcionários do Ministério da Cultura ajudaram durante os crimes da chamava 'Boca Livre', um esquema de corrupção que usou irregularmente recursos da Lei Rouanet, que beneficia artistas e projetos culturais. A atividade criminosa desvio R$ 180 milhões. Antes da Justiça mandar prender 14 pessoas, interceptações telefônicas foram realizadas, também com autorização da justiça. 

As escultas mostram empresários e seus familiares explicando como o dinheiro era desviado. Até festas de casamentos dos filhos dos donos das empresas foram bancadas com dinheiro público.

Publicidade
Publicidade

O Ministério da Cultura teria como função ajudar a escolher como seriam feitos ilicitamente os projetos, aponta a investigação da Polícia Federal. A festa de casamento luxuosa investigada em Jurerê, no Sul do país, teria sido feita com dinheiro do tesouro. Ou seja, paga por todos nós brasileiros. A orquestra sinfônica e o cantor Leo Rodriguez estiveram na celebração. 

Nos grampos telefônicos, o pai do noivo, Bellini, revela que as fraudes são antigas, duram pelo menos 18 anos, antes dos anos 2000. Ao todo, 12 projetos só da empresa dele teriam aprovados de forma irregular nesse tempo. Isso que a Polícia Federal diz ter comprovado. A empresa de Bellini era bastante prestigiada pela Lei Rouanet. 8% de todo o faturamento dela vinha da Lei da Cultura. Em troca, o empresário financiava campanhas políticas. 

A empresa investigada bancava grandes shows, segundo a Veja.

Publicidade

Entre os artistas contratados pela Bellini estão Roberto Carlos e a cantora Daniela Mercury. A Polícia Federal diz ter indícios que grandes artistas sabiam que o esquema era irregular. No entanto, ainda não apontou nomes de celebridades que teriam recebido os recursos. Nenhum grande artista quis falar sobre o assunto. 

A maioria, que antes criticava a CPI da Lei Rouanet, preferiu ficar calada. Isso fez com que internautas realizassem muitas críticas.  #Crime #É Manchete!