Infelizmente, o Brasil recebe mais uma triste notícia de #Violência, quando um garoto de apenas 10 anos foi baleado pela polícia após o roubo de um carro e morreu. O crime aconteceu na última quinta-feira (2), em São Paulo, cidade que registra um alto número de furtos de veículos, só que desta vez a polícia se deparou com duas crianças, sendo uma de 10 e a outra de 11 anos.

De acordo com a polícia, assim que foi percebido o roubo, a viatura começou a perseguir o veículo pelas ruas da cidade, só que em um certo momento o motorista perdeu o controle e acabou batendo em um ônibus. Foi então que os policiais se depararam com a cena incomum, quando dois meninos desceram do veículo e, quando os policiais se aproximaram no intuito de abordá-los, foram recebidos a tiros.

Imediatamente a polícia revidou e a criança de 10 anos foi atingida e não resistiu, morrendo quase que imediatamente.

Publicidade
Publicidade

O outro garoto de 11 anos ficou assustado ao ver o colega sangrando e gritando. Nesse momento de distração, os policiais conseguiram dominá-lo e tiraram sua arma.

A ocorrência foi registrada no 89º Distrito Policial e em seguida foi encaminhada para o Departamento Estadual de Homicídios e de Proteção à Pessoa, já que tinham policiais envolvidos. De acordo com os policiais, o menino de 11 anos confirmou que ele e também seu amigo atiraram contra os policiais após o carro que tinham roubado ter se chocado em um ônibus.

O garoto contou que a intenção era assaltar um edifício, só que no caminho eles viram o veículo com o vidro aberto e então roubaram o carro mesmo. Este garoto ia ser levado para a Fundação Casa, só que para ser internado neste local é preciso ter pelo menos 12 anos, e por isto ele acabou sendo liberado na companhia de sua mãe.

Publicidade

A mãe do garoto de 11 anos já tem passagem pela polícia e revelou não ter controle nenhum sobre o filho. O pai da criança está preso. Quando a mãe deixou a delegacia o filho foi correndo atrás dela. As investigações sobre o caso terão início, mas os policiais irão alegar que os tiros dados por eles foram para se defenderem. #Casos de polícia