A união faz a força. Essa é uma frase clichê, mas que faz muito sentido para um grupo de populares da cidade de Ivaiporã, no Paraná. Isso porque eles ficaram cansados de ver como o poder público estava administrando a segurança da região. A solução então foi juntar todo mundo e fazer uma "vaquinha". Com o dinheiro arrecadado, as Polícias Civil e Militar ganharam fuzis, que estão sendo bem empregados. Os moradores garantem que os bandidos agora estão tendo mais cuidado e que já notam a criminalidade caindo. Entre os seis primeiros meses desse ano, doze armas foram compradas pelos moradores. Cinco já foram entregues à Polícia Militar e duas para a Civil.

Publicidade
Publicidade

As outras cinco devem chegar em breve. Outros municípios da mesma região estão fazendo ações semelhantes. 

A Secretaria de Segurança Pública do Paraná (Sesp-PR) disse em comunicado enviado ao portal de notícias UOL e publicado nesta segunda-feira, 20, que vê a "vaquinha" como uma ação isolada. A instituição garante que tem realizado tudo o que é necessário e que está cumprindo suas funções. O governo do estado também se pronunciou e disse que providenciou a compra de mais mil armas. No entanto, cidades como Mauá, Jandaia do Sul e Califórnia estão reivindicando a chegada desse armamento. Enquanto isso, moradores dessas regiões se sentem reféns. 

Essas cidades, de acordo com o governo do Paraná, devem começar a receber as armas entre o início do segundo semestre deste ano até o meio do ano que vem.

Publicidade

Os moradores decidiram juntar o dinheiro depois que vários atos criminosos aconteceram na região. Segundo populares, assaltos foram promovidos em agências de bancos por quadrilhas bem armadas. O dinheiro arrecadado até o momento já ultrapassa o valor de R$ 110 mil. 

Não é só na área de segurança que o povo tem se juntado para fazer o que deveria ser dever do estado. No Rio de Janeiro, por exemplo, moradores de uma comunidade construíram uma ponte orçada em valores altíssimos por menos de 10% do valor total. O governo diz que a construção pode não ser segura e existe o medo de demolição da construção.  #Crime #Investigação Criminal #Casos de polícia