Apesar de o #Governo Temer desejar aprovar seu projeto de reforma da Previdência Social até o fim deste ano, é quase consenso de que a proposta não seja aprovada no Congresso antes de 2017.

Segundo informações da agência de notícias Reuters, não haveria “clima” para aprovar a proposta na Câmara ou no Senado em 2016. A razão, de acordo com uma fonte do governo consultada pela agência, seria a impopularidade da medida, sobretudo levando-se em conta que em outubro ocorrem as eleições municipais e cerca de 100 parlamentares são candidatos à Prefeitura em suas cidades.

Informado das condições desfavoráveis para aprovação da proposta ainda este ano, como desejava no primeiro mês de gestão, o Palácio do Planalto decidiu andar com menos rapidez com a reforma.

Publicidade
Publicidade

Anteriormente, a ideia era que em junho o projeto já estivesse no Congresso, logo após a discussão dos pontos com lideranças das centrais sindicais. No entanto, será apenas nesta terça-feira (28) que efetivamente o governo pretende discutir suas propostas para os sindicalistas e esboçar uma primeira versão da reforma.

Para que seja aprovada pelos parlamentares, a proposta de reforma previdenciária deve ser objeto de uma comissão especial e, após obter aprovação, segue para ser votada na Câmara e no Senado em dois turnos. É provável, no melhor dos cenários, que a votação do projeto comece ainda este ano, mas seja concluída apenas em 2017. #Congresso Nacional #PrevidenciaSocial