Além do presidente interino Michel Temer, os senadores Renan Calheiros (PMDB-AL) e Aécio Neves (PSDB-MG) estão entre os políticos apontados por Sérgio Machado como beneficiários de esquemas de #Corrupção.

Renan

Durante os dez anos em que ocupou a presidência da estatal, por indicação do PMDB, Sérgio Machado teria repassado R$ 100 milhões em propina ao partido. Desse montante, R$ 32 milhões foram exclusivamente para o atual presidente do Senado, Renan Calheiros. 

Por meio de nota, Renan afirmou nunca ter recebido caixa dois ou vantagens de qualquer pessoa e que suas contas são feitas dentro da lei vigente. Além disso, o parlamentar disse não ter indicado Machado para o cargo na presidência da Transpetro e se mostrou disponível para a prestação de depoimentos a respeito.

Publicidade
Publicidade

Aécio

Já Aécio Neves teria sido beneficiado por um esquema de corrupção que começou em 1998 dedicado à sua eleição como presidente da Câmara em 2000, além de ter recebido R$ 1 milhão de Machado, quando o delator ainda era senador pelo PSDB.

Em nota, Aécio comentou as acusações e disse que elas são "falsas e covardes", motivadas pela intenção de garantir as vantagens da delação premiada, razão que levaria o delator a “mentir” e “caluniar”. #Lava Jato #Senado Federal