Caruaru é uma das cidades mais visitadas de Pernambuco, muito pela sua famosa festa de 'São João'. Apesar de estar no período junino, o município, no entanto, enfrenta uma grave crise econômica e a seca do nordeste, que já diminui a produção local. Mesmo assim, de acordo com informações do jornal 'Folha de São Paulo' em reportagem publicada nesta quarta-feira, 22, a cidade pagará um dinheirão para ter a presença do cantor Wesley Safadão, aquele que garante que só é "1% vagabundo". O valor desempenhado pelo município, de acordo com a reportagem, é de R$ 575 mil por um único show. Uma única apresentação. Menos de duas horas de Safadão no palco. 

No ano passado, a mesma prefeitura havia contratado Safadão, que cobrou ainda mais.

Publicidade
Publicidade

O valor deste ano corresponde a 85% do que ele ganhou no ano passado. O forrozeiro teria dado um desconto por conta da crise. A mídia especializada da música disse que o cachê dele, até então o mais alto do país, acabou caindo nos último meses. Tanto no ano passado, quanto nesse, no entanto, Safadão continuará a ser o cachê mais alto a ser pago pela Fundação Cultural de Caruaru, que organiza um dos maiores 'São Joões' do país. 

O show em Caruaru, apesar da polêmica, continua programado para o dia 25. No entanto, de acordo com a 'Folha de São Paulo', alguns dias depois ele se apresentará em outra cidade pela metade do preço. Em Campina Grande, na Paraíba, o forrozeiro aceitou receber apenas R$ 295 mil por sua apresentação. Desse valor, R$ 100 mil serão pagos por um patrocinador e o restante do montante pela prefeitura local. 

Safadão continua com tudo, mesmo após tantas polêmicas.

Publicidade

Em junho, que costuma ser um dos meses mais movimentados para cantores de seu estilo, ele tem 30 shows agendados. Uma média de um por dia. Estima-se que ele receba por isso mais de R$ 10 milhões. Pelo visto, a crise econômica e a seca do nordeste não tem incomodado tanto as prefeituras, que preferem investir em apresentações que deixam as pessoas mais felizes. O que você pensa sobre o assunto? Comente e compartilhe.  #Governo