No ano de 2015, o Senador Romário Farias, do #PSB, montou um verdadeiro time na Smel, a  Secretaria municipal de Esporte e Lazer do Rio de Janeiro. Até 2016, muitos dos nomes ligados ao eterno "baixinho" ainda continuavam trabalhando no local. O caso polêmico voltou à mídia depois que o Congressista anunciou que poderia mudar o seu voto na discussão do #Impeachment da presidente afastada da república Dilma Rousseff. Ele chegou até a pedir renúncia da Comissão do Senado que analisa o processo de impedimento da representante do Partido dos Trabalhadores (PT).

De acordo com uma reportagem do jornal Extra, entre os empregados da Secretaria de Esporte do Município que receberá nos próximos meses as Olimpíadas, estão a irmã, o sobrinho, a namorada e outros cinco amigos do ex-jogador de futebol que fez sucesso nos gramados e repetiu o sucesso nas urnas, sendo um dos Senadores mais votados do país.

Publicidade
Publicidade

A irmã de Romário é Zoraide Faria, a namorada Daniane Cattani e outros nomes ganharam empregos em uma entidade pública.

De acordo com o Extra, até mesmo o secretário de esporte da Pasta, indicado em janeiro de 2015, Marcos Braz, teria sido indicado por Romário. O Senador teria prometido ao PMDB que não se candidataria à prefeitura do Rio de Janeiro, mas desistiu. Recentemente, ele confessou que poderia ser um dos candidatos ao pleito no município. Caso isso ocorra, o "baixinho" já entra na disputa eleitoral como um dos favoritos, especialmente porque seu nome sempre está forte na mídia. 

A namorada do jogador, segundo informações da Smel, foi desligada do cargo ainda este ano e não trabalha mais no local. No entanto, mesmo depois de ter sido exonerada da Secretaria, Daiane chegou a postar fotos semanas depois dentro da Prefeitura, em atitudes que indicavam que ela estava trabalhando.

Publicidade

Na época da divulgação da polêmica, a maioria dos envolvidos não quis falar sobre o assunto. De acordo com o Extra, um deles, inclusive, chegou a desligar o telefone na cara dos jornalistas. Romário também não quis se pronunciar.