Na madrugada deste domingo, 05, a TV Globo exibiu uma discussão política envolvendo duas personalidades que deram suas opiniões durante os últimos meses no Brasil, que ficou mais agitado no noticiário político por conta do #Impeachment da presidente afastada Dilma Rousseff. De um lado, o apresentador Márcio Garcia, que se posicionou contra Dilma e a favor do seu impedimento. Do outro, Letícia Sabatella, que chegou a fazer reuniões oficiais com Rousseff e até com o Papa para tentar reverter o processo contra a representante do Partido dos Trabalhadores (PT).

Sabatella disse no 'Altas Horas' que existe no Brasil um "golpe armado".

Publicidade
Publicidade

Já Garcia pediu que o país fique livre da corrupção, seja com qual presidente ou partido estiver no poder. Em determinado momento, o apresentador começou a dizer que não valia muito discutir opiniões políticas, já que é como futebol, as pessoas não aceitam as opiniões alheias e sempre rola uma discussão. A atriz não gostou do comentário e decidiu interromper o colega, dizendo que não estava falando de futebol. No entanto, ela acabou levando um fora, mesmo que educado. "Deixa eu terminar", disse o convidado. 

Quem também comentou a crise política do país foi Serginho Groismann, que fez análises positivas e negativas do atual momento. Segundo ele, as pessoas nunca falaram tanto de política, mas que o clima chegou a um tom "raivoso", especialmente na internet, onde houve muita ofensa. Sabatella disse que foi muito agredida na internet, mas que tem o direito de falar.

Publicidade

Ela revelou que tomou medidas judiciais para garantir esse direito e evitar que pessoas publiquem mentiras e ofensas sobre ela. 

Em alguns discursos, Letícia disse que não era a favor do governo de Dilma, mas que não existiam argumentos para tirar Rousseff do poder, argumentando que a presidente afastada não cometeu nenhum tipo de crime. Usando a mesma tese do PT, a de que existe um "golpe", ela chegou a explicar o que ocorre no país ao Papa Francisco, que preferiu não dar um parecer sobre o caso. #Dilma Rousseff