Na madrugada deste domingo, 19, entre 15 e 20 bandidos realizaram um atentado contra um dos principais hospitais do Rio de Janeiro, o Souza Aguiar, que fica no Centro da cidade. Na incursão ousada, que teve o uso de granadas e fuzis, o traficante conhecido como Fat Family - Nicolas Labre Pereira de Jesus - foi resgatado. Um homem morreu e duas pessoas ficaram feridas. Uma delas um enfermeiro, que está em estado grave. Fat Family é irmão de um conhecido traficante da idade, My Thor, que representa o Comando Vermelho. Ele foi preso no dia 13 e está em uma instituição federal. 

No momento da prisão do irmão, Fat Family acabou levando um tiro na cabeça.

Publicidade
Publicidade

A foto que é capa dessa reportagem foi registrada por familiares. Ela mostra o criminoso fazendo um sinal de positivo para os amigos em uma rede social. 

A Secretaria de Segurança Pública, segundo informações da Revista Veja, já sabia desde quinta-feira, 16, que o hospital seria invadido. A Polícia Civil teria avisado ao Centro Integrado da Polícia sobre um possível plano de retirar o traficante do local. No entanto, nada foi feito. O alerta da Polícia, segundo a Veja, tinha sido classificado como 'A1', que significa de alto nível de credibilidade. O pedido de aumento do efetivo em torno do traficante também foi compartilhado com outros órgãos da Polícia. 

Na ação, um ambulante chegou a ser utilizado como escudo humano. Quem estava no hospital descreve que viveu momentos de terror. 

O evento ocorre faltando 45 dias para o estado do Rio de Janeiro receber os Jogos Olímpicos.

Publicidade

No fim de semana, o governador em exercício, Dornelles, decretou estado de calamidade pública. Ele deve receber R$ 3 bilhões de recursos do governo federal. O dinheiro não é suficiente para pagar sequer dois meses de folha salarial dos funcionários do estado, que convivem com os constantes atrasos. O dinheiro deve ser usado para garantir que os jogos acontecerão em plenitude.

Enquanto isso, as Forças Armadas já receberam o pedido para ajudarem a patrulhar a cidade. O número de efetivo a ser utilizado ainda não foi descrito. #Crime