O governo do presidente interno #Michel Temer (PMDB-RJ) não para de provocar profundas mudanças na economia do Brasil. Nesta terça-feira (28), o #Senado Federal aprovou uma medida provisória que diminui os impostos praticados em movimentações no exterior. Esse imposto é retido na fonte, antes mesmo do indivíduo realizar qualquer movimentação fora do país. Essa medida beneficia a população rica, uma vez que a população pobre brasileira não disponibiliza de tais recursos, considerados luxo para muitos que nem tem o que comer em casa.

Menos impostos para quem pode viajar para o exterior

A tributação baixou e muito, garantindo satisfação à população que envia dinheiro ao exterior e tem gastos em viagens a outros países.

Publicidade
Publicidade

O imposto foi reduzido de 25% para 6% para quem enviar dinheiro para outro país. A resolução entra em vigor assim que for sancionada pelo presidente interino, Michel Temer (PMDB-RJ). A medida provisória já foi aprovada pela câmara dos deputados federais. Os parlamentares fizeram alterações em seu texto e a aprovaram, encaminhando a votação ao senado, onde também foi aprovada.

Além disso, a proposta isenta os brasileiros que procurarem formação ou serviços médicos no exterior. Nesse caso, o cidadão não pagará nenhuma taxa de #Imposto de Renda reincidente sob remessas feitas em outros países. Para quem vai curtir férias e realizar viagens, a medida provisória limita o valor da alíquota em até dez mil reais. Esse valor vale também para agências e operadoras de viagens internacionais.

Economia vai mal e ajustes econômicos são necessários

Essa medida orçamentária é opositora aos ajustes financeiros que o Brasil passa para contenção de gastos.

Publicidade

O país enfrenta uma crise política-econômica que reverberou no afastamento da presidente Dilma Rousseff (PT) após a votação do impeachment. Desde que Michel Temer assumiu a presidência, o orçamento público aumentou, fazendo com que o déficit projetado para 2016 seja ainda maior. Para muitos políticos e estudiosos que defendem a ilegitimidade do governo de Temer, essa atitude visa beneficiar a classe rica brasileira, que tem dinheiro para gastar em viagens no exterior e fazer compras, como a esposa do ex-presidente da câmara Eduardo Cunha. Cláudia Cruz gastou milhares de dólares em artigos de luxo em suas viagens ao exterior. Enquanto isso, na diacronia da desigualdade social do Brasil, milhares de famílias sobrevivem graças ao Bolsa Família, programa de transferência de renda à população pobre do Brasil.