A mudança de governo na esfera federal ainda gera muitas discussões no Senado Federal, especialmente pelo fato de que o presidente em exercício, Michel Temer, começou sua gestão com uma enorme bomba nas mãos. Alguns Ministros já caíram e ele tenta agora trabalhar melhor a comunicação. Um dos 55 Senadores que votou no dia 12 de maio contra a presidente afastada Dilma Rousseff foi José Agripino, presidente nacional do Democratas e eleito Senador pelo Rio Grande do Norte. De acordo com ela, as chances da representante do Partido dos Trabalhadores em voltar ao poder são quase "zero'. 

Em entrevista publicada nesta sexta-feira, 03, pelo site Diário do Poder, o Senador lembrou que já é antigo na político.

Publicidade
Publicidade

Ele enfrenta o quarto mandato como Congressista (lembrando que cada mandato dura oito anos, diferente de outros cargos eletivos). Agripino revelou que acredita que o peemedebista #Michel Temer começou bem o governo, especialmente no momento de compôr a equipe ministerial. 

Para o representante do Senado do Rio Grande do Norte, a volta de Rousseff apenas conseguiria reeditar o que ele chama de "desgoverno". Ele lembra que a base de governo da petista hoje é praticamente nula, tirando de Dilma qualquer possibilidade de voltar um projeto, seja na Câmara dos deputados ou no Congresso. O Senador continua criticando duramente Dilma, dizendo que ela perdeu completamente o "comando" da economia e da política brasileira. 

Questionado sobre quantos políticos votaria pelo impeachment definitivo de Dilma, levando-la à deposição, Agripino disse que seriam mais de 55 nomes.

Publicidade

Para que haja a deposição e consequente inelegibilidade da política por oito anos são necessários, pelo menos, 54 votos dos 81 Senadores que compõem o Plenário. 

O entrevistado do 'Diário do Poder' vai além, dizendo que as escolhas de Temer são a solução para o país, já que escolheu uma equipe econômica muito boa. "Uma das melhores dos últimos tempos", disse ele. Agripino ainda nega que as gravações divulgadas recentemente tenham provado que existia uma organização para derrubar Rousseff.  #Dilma Rousseff