O Senador Ataídes Oliveira, eleito pelo PSDB de Tocantis, decidiu usar a Comissão do #Impeachment desta terça-feira, 21, para afirmar de forma veemente que a presidente afastada Dima Rousseff cometeu o crime de responsabilidade fiscal. Ele ainda foi além, revelando que a representante do Partido dos Trabalhadores (#PT) sabia que estava cometendo erros. Ele lembra que atitudes estranhas foram tomadas durante os quatorze anos que a legenda de Dilma ficou no poder e que agora, após milhões e milhões gastos, quem está pagando a conta é o brasileiro. 

Apesar disso, ele disse no Senado que a companheira política do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva tinha todo o direito de defesa, mas com um adendo: “Eu vejo que não há argumento.

Publicidade
Publicidade

Fatos são fatos. Evidentemente que a defesa tem que usar o seu ‘juris esperneandis’, tem que dizer que não”, ironizou o senador. Já no fim do seu discurso, após acusar o PT de tirar bilhões dos cofres público, Ataídes anunciou o que viria a ser uma revelação para muitos assustadora: "se Dilma não saísse, ela venderia o Brasil para a Venezuela". 

Veja abaixo o vídeo polêmico com a declaração do Senador:

Brasil e Venezuela aproximaram suas relações ainda no governo de Lula. Assim que o processo de impeachment começou a ser traçado contra Dilma, o presidente da Venezuela, Nicolás Maduro, disse que o Brasil estava vivendo um "golpe de estado". Ele acusou o imperialismo americano, além de empresários capitalistas brasileiros de quererem tirar as conquistas que o povo conseguiu, como o 'Bolsa Família' e o 'Minha Casa, Minha Vida'.

Publicidade

Depois que a queda de Dilma se tornou iminente, a Venezuela, assim como outros países, parou de "tocar na ferida" do presidente em exercício Michel Temer, do PMDB. O governo brasileiro agora pensa até em fazer uma doação de remédios para o país que vive a maior crise de sua história. A informação já confirmada pelo Ministério da Saúde gerou críticas nas redes sociais brasileiras, já que nosso país não é lá um grande exemplo no setor da saúde.  #Dilma Rousseff