A senadora Ana Amélia, eleita pelo Partido Progressista (PP) do Rio Grande do Sul,  usou nesta sexta-feira, 24, de seu o tempo para fazer perguntas a uma testemunha de defesa da presidente afastada, Dilma Rousseff, para dar uma resposta elegante, mas na forma de ataque à Senadora Gleisi Hoffmann, do Partido dos Trabalhadores (PT) do Rio Grande do Sul. A resposta foi dada na Comissão do #Impeachment do Senado, que ouvia mais uma das testemunhas que podem beneficiar ou atrapalhar Rousseff no processo de deposição da presidência. 

Pronunciamento após nota polêmica

Na quinta-feira, 23, Gleisi Hoffmann tinha criticado a prisão do seu marido, o ex-ministro Paulo Bernardo, na Operação 'Custo Brasil', que se derivou da trigésima primeira etapa da investigação referente à Lava Jato.

Publicidade
Publicidade

Em nota divulgada à imprensa, a petista disse não ver "outra explicação que não o desvio de foco da opinião pública deste governo claramente envolvido em desvios" a não ser atrapalhar a defesa da presidente Dilma. 

Separando as coisas

De acordo com ela, essa seria uma tática do governo do presidente em exercício Michel Temer, do PMDB, pata se manter no poder. Em diversas oportunidades, Gleisi chamou Temer de "golpista". Ana Amélia não gostou da declaração feita pela colega no Congresso. Muito elegante, ela disse que "Não" vê "pertinência em aliar a prisão" do marido da Congressista ao processo de impeachment. Ana Amélia ainda lembrou que  "uma coisa é a Lava Jato e outra coisa é o julgamento".

Senadora não deixa colega tentar rechaçar a justiça

Para a crítica à petista, não se pode misturar uma operação policial com um julgamento paralelo.

Publicidade

Ela acusou Hoffmann de querem não só menosprezar a justiça, através do Poder Judiciário, mas também de diminuir o poder da soberania nacional. "Vamos botar os pingos nos is", disse a Senadora se referindo à Gleisi, que pelo segundo dia consecutivo decidiu não ir à Comissão do processo de impeachment. Além dela, também não compareceu o advogado de Rousseff, José Eduardo Cardozo, e o colega partidário de Gleisi, Senador Lindbergh Farias, eleito pelo Rio de Janeiro. 

A citação de Ana Amélia foi a primeira de um Senador sobre a prisão de Paulo Bernardo, marido de Hoffmann.  #PT