De acordo com a coluna Painel da 'Folha de São Paulo' desta quinta-feira, 23, representante do Partido dos Trabalhadores (PT) tomaram um susto ao abrir uma pesquisa interna de intenção de voto para o Palácio do Planalto. Segundo a apuração feita pela própria legenda, o juiz federal Sérgio Moro desbancaria o ex-presidente Luiz Inácio #Lula da Silva na corrida presidencial para o ano de 2018. A pesquisa foi realizada na maior cidade do país, São Paulo, o que torna seus números com ainda mais credibilidade.

Por ser cosmopolita, recebendo pessoas de todas as regiões do país, São Paulo costuma dar uma prévia do cenário nacional.

Publicidade
Publicidade

Perder na cidade pode ser crucial e até mudar a história de uma eleição. O juiz Sérgio Moro aparece com 14% das intenções de votos. Já Marina Silva, apontada como uma das favoritas em várias pesquisas, apareceu em segundo lugar, tecnicamente empatada com diversos políticos, inclusive o próprio Lula, que aparece com 11% das intenções de votos dos paulistas.

Na lista, ainda aparecem com bom percentual os possíveis candidatos do PSDB Geraldo Alckmin (10%) e José Serra (10%). A 'Folha de São Paulo' não informou se a pesquisa também foi feita com Aécio Neves. O presidente em exercício, Michel Temer, do PMDB, aparece mal colocado na corrida pelo pleito. Ele tem apenas 2% das intenções, pouco mais do que Eduardo Cunha, que aparece com 1%. O ex-Ministro Ciro Gomes tem 4% e o deputado federal Jair Bolsonaro, eleito pelo PSC do Rio de Janeiro, aparece com 3%. 

Neste ano, o juiz federal Sérgio Moro já havia ganho uma condecoração de uma das maiores revistas americanas, a 'Time', na qual ficou entre um das 100 maiores personalidades do planeta.

Publicidade

A publicação leva em vista a capacidade que uma pessoa tem de mobilização em um país, região ou no próprio mundo. O juiz que comanda a Lava Jato jamais manifestou a intenção de concorrer à presidência, mas será que ele tem planos para se candidatar? Antes mesmo de se filiar a qualquer legenda, Moro já é o favorito e isso preocupa os políticos. Será a era das togas?  #PT