O Ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), Teori Zavacki, enviou um inquérito contra o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva para a justiça federal na noite desta segunda-feira, 13. Dessa forma, o ex-líder sindical volta a ser investigado a partir do comando do temido juiz federal Sérgio Moro. #Lula é acusado de atrapalhar investigações. Há suspeitas ainda de que ele seja o chefe do 'Petrolão', nome que também é dado ao esquema de corrupção envolvendo a maior estatal brasileira.

TEMPO REAL

21h45 - Relação com o impeachment

Ainda é muito cedo para falar o quanto a decisão de Teori pode influenciar politicamente o impeachment da presidente Dilma no Senado.

Publicidade
Publicidade

Isso porque a representante do Partido dos Trabalhadores (PT) já estava muito frágil. Atualmente, ela precisa entre 5 e 6 votos para não ser deposta pelos congressistas brasileiros. 

21h20 - Áudios não poderão ser usados em plenitude

Na decisão, Teori ainda decidiu que os áudios envolvendo Lula e Dilma não podem ser usados como provas em plenitude. Apenas alguns trechos das interceptações podem ser colocados como provas.  Os áudios mostram o ex-presidente falando sobre o termo de posse no Ministério da Casa Civil. O político foi convidado pelo cargo depois que o Ministério Público de São Paulo solicitou a sua prisão preventiva. A informação foi confirmada através da assessoria de imprensa do STF e dada também pela Globo News. O Instituto Lula ainda não se pronunciou sobre o assunto.

21h15 - Situação de Dilma na investigação

Ainda não há uma previsão para que Teori julgue um pedido feito pelo Procurador-Geral da República, Rodrigo Janot, que solicitou que Dilma, Lula e o ex-Advogado-Geral da União fossem investigados por atrapalharem a Lava Jato.

Publicidade

A apuração de Sérgio Moro, pelo menos até o momento, não envolverá Dilma, que tem foro privilegiado. Cardozo, como está vinculado diretamente à Rousseff, ele não pode ser apurado nesse caso em específico.  #Dilma Rousseff