O Tribunal Superior Eleitoral (TSE) pode trocar mesários por todo o Brasil devido à suspeitas de irregularidades nas Eleições municipais deste ano. O TSE já enviou um pedido para que a Procuradoria-Geral da República e a Polícia Federal investiguem votos que teriam sido fraudados. Ao todo, mais de 40 mil eleitores tiveram problemas estranhos na hora de votar na última eleição presidencial. As suspeitas de irregularidades já tinham sido despertas na ocasião pelo candidato à presidência Aécio Neves, do PSDB. No entanto, naquele momento nada de anormal foi registrado. 

A fraude apontada pode ter acontecido justamente no momento em que os brasileiros praticavam a cidadania, quando efetuavam o seu voto.

Publicidade
Publicidade

De acordo com informações do jornal 'O Estado de São Paulo', o Tribunal chegou a solicitar a troca de todos os mesários pelo país. No entanto, horas depois, a assessoria da entidade disse que serão "todos os mesários dos locais onde foram registrados falhas". Por isso, o TSE faz constantes apurações para detectar novos possíveis problemas, evitando assim que a votação possa realmente ser fraudada. 

Uma das irregularidades mais comuns foram votos registrados de eleitores que justificaram não votar. O mesmo eleitor também votou mais de uma vez na mesma urna. Não se sabe se isso foi uma falha pontual, de um mesário que teria errado um número, ou se faz parte de um crime maior. Por isso, o próximo passo é o caso passar às mãos dos agentes federais. A maior parte das falhas aconteceu no nordeste, região conhecida por ser de uma maior eleitorado do Partido dos Trabalhadores.

Publicidade

O TSE, no entanto, não cita qualquer partido até o momento. Os estados com o maior número de falhas são o Maranhão e a Bahia 

Os municípios onde os erros foram maiores terão que adotar a biometria. O presidente em exercício Michel Temer, do PMDB, destinou verba para que a votação ocorra com segurança no final do ano. Esse será o primeiro pleito com Gilmar Mendes, que já era Ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), atuando como presidente do TSE. Alguns casos beiram ao absurdo. O mesmo erro chegou a acontecer 18 vezes na mesma urna. #Eleições #Eleições 2016