Felizmente a polícia conseguiu prender o suspeito de estuprar uma advogada em São José dos Campos, interior de São Paulo. O homem foi preso na região de Banhado, nesta sexta-feira (03). Mas, antes da polícia chegar, o suspeito foi agredido por diversas pessoas que o reconheceram, e, antes de ir para a cadeia, precisou ser encaminhado para a UPA.

A vítima já fez o reconhecimento do homem de 33 anos que a estuprou e a polícia já levantou toda a ficha do sujeito que mora no bairro Galo Branco, em São José dos Campos. O suspeito já tinha várias outras passagens pela polícia e agora a população espera que ele fique preso, pois se a Justiça já tivesse agido, teria evitado mais um caso de estupro.

Publicidade
Publicidade

A polícia pede à população que continue denunciando, aliás, o que ajudou a polícia a encontrar  O estuprador deste caso foi justamente uma denúncia anônima, de alguém que viu o suspeito e ligou informando onde ele estava.

A polícia já tinha divulgado um retrato falado do estuprador e, por isso, ele foi reconhecido pelos moradores do local, que resolveram fazer justiça com as próprias mãos. O criminoso só não foi morto porque a polícia chegou a tempo de socorrê-lo. Os policiais informaram que os populares fugiram assim que avistaram a viatura e, por isso, não foi possível atuar ninguém em flagrante.

A polícia sempre pede que as denúncias sejam feitas, mas que ninguém faça justiça por conta própria, até porque, neste caso, estaria também cometendo um #Crime.

Outro risco muito grande é que uma pessoa inocente pode ser confundida com o suspeito e ser agredido sem ter culpa de nada.

Publicidade

Foi o que aconteceu a um outro homem, que foi confundido com este estuprador, agredido. A polícia foi chamada, prendeu o rapaz e então descobriu que não era ele o estuprador procurado.

A advogada estuprada tem 25 anos e o crime aconteceu na última terça-feira (31), quando ela estava passando pelo centro da cidade depois do trabalho.

O estuprador continua na Unidade de Pronto Atendimento, mas a Secretaria Municipal de Saúde preferiu não dar detalhes sobre seu quadro. A advogada tenta se recuperar, mas o trauma deixado é sempre grande e acompanhará a vítima pelo resto da vida. #Violência #Casos de polícia