Nesta quarta-feira, 08, Jairo Lopes, um suspeito de 42 anos foi preso por policiais civis no município de Buenópolis, região central de Minas Gerais. Ele é suspeito de estuprar, assassinar e arrancar o coração de uma menininha de apenas dez anos de idade. O caso aconteceu em uma região que fica a quase 300 quilômetros da capital, Belo Horizonte. O crime foi realizado na semana passada e chocou o estado. A repercussão da barbaridade também foi rápida e em todo o Brasil. De acordo com uma fonte da Polícia, por enquanto, o homem não está com outros presos. Ele teria pedido aos policiais para não colocá-lo em uma cela conjunta com medo de ser morto e estuprado. 

Ao todo, Policiais demoraram seis dias para encontrar o homem.

Publicidade
Publicidade

Ele tinha táticas para fugir, evitando usar o nome de verdade ou usar identificações que facilitarem o seu encontro. Jairo fugiu do Presídio de Montes Claros no ano de 2012 e estava foragido há quatro anos. Por conta da repercussão do caso, a imagem do suposto estuprador e assassino ficou passando o tempo todo na TV local e foi publicada amplamente em jornais e na internet. Por isso, moradores da Zona Rural acabaram identificando o homem.

Ele estava em uma fazenda, a aproximadamente 15 quilômetros de onde ocorreu o crime. Antes da Polícia chegar, moradores da região chegaram a ameaçar linchar o foragido. No entanto, felizmente, o bom senso imperou e nada de criminoso foi realizado com o homem suspeito de cometer um crime horripilante. 

Não é a primeira vez que Jairo teria cometido um estupro.

Publicidade

Ele foi preso justamente acusado de cometer esse crime na primeira década dos anos 2000. Além de violação de corpos, ele foi preso por roubo e homicídio. A Polícia deve investigar ainda se o homem teria cometido outros crimes parecidos na região. A menina de dez anos assassinada foi vista pela última vez quando ia para a escola. O corpo dela foi encontrado horas depois por policiais. O cadáver estava sem o coração, espantando até mesmo policiais acostumados com crimes bárbaros.  #Governo #Crise