Desde que assumiu o governo, ainda em caráter interino, o presidente em exercício #Michel Temer, do PMDB, tem sido elogiado pelo bom português. Sua primeira entrevista dada à televisão, durante o 'Fantástico', fez com que os eleitores começassem um comparativo com a presidente afastada Dilma Rousseff, do Partido dos Trabalhadores (PT). Dilma costuma ser enrolar com os argumentos e até se atrapalha com a concordância.

Algo que também acontecia com o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva quando esse estava no poder. É claro que ser um dominador da língua pátria não faz de ninguém um bom gestor. No entanto, Temer decidiu brincar sobe o assunto durante uma entrevista dada nesta sexta-feira, 24.

Publicidade
Publicidade

Ele riu do fato de ser um grande comunicador de mesóclises, que são mais encontradas hoje na bíblia e em livros antigos. Esse tipo de expressão não é usada na linguagem coloquial. 

Na entrevista, ele já tinha usado uma dessas mesóclises, ao citar um “fá-las-á”. Nesse momento, Temer falava sobre o possível aumento de impostos no futuro. Ele mesmo achou engraçado o jeito dele falar e decidiu brincar com a situação, revelando que está ajudando muita gente a se educar melhor sobre os recursos da língua portuguesa. "Vocês sabem que isso até ensinou para muita gente o que é próclise, ênclise e mesóclise", disse ele. 

Ele ainda brincou sobre outra coisa da sua vida, as atividades de lazer, inclusive àquelas feitas apenas para se manter em forma. Temer disse que diferente de Dilma, que gosta de pedalar todas as manhãs, ele prefere caminhar muito.

Publicidade

De acordo com o presidente em exercício, quando criança, ele chegou a caminhar até 20 Km para chegar à escola.

Tanto esforço fez com que ele prestasse bastante atenção nas aulas. Michel é considerado um dos maiores constitucionalistas do país. O peemedebista já publicou diversos livros. Muitos deles obrigatórios nas melhores faculdades de direito do Brasil. Apesar disso, ele vem sendo acusado de promover um "golpe" contra sua ex-companheira política.  #Dilma Rousseff #Impeachment