O governo do presidente em exercício, Michel Temer, do PMDB, decidiu fazer jogo duro com a presidente afastada Dilma Rousseff. Depois dessa gastar números impressionantes, o governo decidiu começar a proibir a representante do Partido dos Trabalhadores (#PT) a utilizar diversas mordomias. Uma delas foi anunciada neste sábado, 11, pela jornalista Mônica Bergamo, da 'Folha de São Paulo'.

De acordo com ela, a equipe de Temer não autorizou que a Dilma e sua 'trupe' ficassem hospedados no hotel Renaissance com dinheiro bancado pelo governo federal. Rousseff até ficou no local, considerado um dos melhores hotéis do país, em São Paulo, mas a conta ficará para ela e para o PT.

Publicidade
Publicidade

Segundo Mônica Bergamo, depois de utilizar as acomodações e de ter gasto uma boa quantia no hotel, Dilma ficou sabendo que ela é quem teria que pagar a conta, pois o governo não saldaria o pagamento. Alguns assessores da petista pareciam que estavam prevendo a proibição e ficaram em um local mais "humilde". Essa hospedagem sim foi bancada pelo governo Temer. 

Não é a primeira vez que a equipe do peemedebista decide deixar tudo mais difícil para a presidente afastada. A medida mais polêmica foi a que envolveu a proibição de uso das aeronaves da Força Aérea Brasileira (FAB). A companheira política do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva só pode agora pegar aviões oficiais indo do Rio Grande do Sul, onde tem uma casa, até Brasília, onde fica sua residência oficial, o Palácio do Alvorada. 

A medida visa diminuir os gastos da petista, que em 18 dias após o seu afastamento gastou R$ 650 mil.

Publicidade

Isso não contando o pagamento de mais de 100 funcionários do Palácio do Alvorada, como garços, arrumadeiras e etc. Com alimentação, desde o começo do ano, somente com o cartão corporativo, Rousseff gastou R$ 62 mil. 

De acordo com o jornal 'O Globo', Temer teria solicitado para a equipe de sua antecessora que ela devolva 20 assessores para o Palácio do Planalto. Caso ela não faça isso, essas pessoas serão demitidas e novos nomes contratados.  #Dilma Rousseff #Impeachment