A Comissão do impeachment do Senado tem sido marcada por momentos polêmicos, porém engraçados. Nesta segunda-feira, 20, por exemplo, já muito cansado, o Senador Cássio Cunha Lima, eleito pelo PSDB da Paraíba, decidiu resumir ao fim da sessão como o cordelista e repentista paraibano Zé Limeira, que ficou conhecido como o Poeta do Absurdo, reagiria diante dos protestos sem sentido da bancada que defende a permanência da presidente afastada Dilma Rousseff no poder. Ele aproveitou o discurso para fazer menções à falas de Lindbergh Farias e do advogado da presidente, José Eduardo Cardozo. 

Com o argumento de que respeitaria os brasileiros não cansando mais todos e também a testemunha que poderia ouvir dele uma pergunta, Cássio Cunha Lima decidiu elogiar um nome que ficou conhecido nos últimos dias na Comissão.

Publicidade
Publicidade

"Salve Tomás Turbando", disse ele de forma irônica citando uma fala de José Eduardo Cardozo. Na última semana, o ex-Ministro da Justiça acabou sendo "traído" por sua equipe, que na hora de escrever a relação de nomes que apoiavam Dilma fizeram uma brincadeira.

Um jurista teve o seu nome alterado para 'Tomás Turbando'. O advogado disse que a brincadeira era interna, mas que os revisores do documento acabaram não percebendo a piada. Ele no calor do momento também leu o nome do jurista de forma errada, mas revelou que ninguém seria punido, já que o erro não teria ocorrido de modo proposital. Cardozo, no entanto, foi acusado de fazer deboche com os Senadores e com os brasileiros, que assistem à Comissão do impeachment assiduamente. 

Cássio Cunha Lima ainda citou brevemente uma fala do Senador eleito pelo Rio de Janeiro, Lindbergh Farias.

Publicidade

O político disse que o presidente em exercício Michel Temer, do PMDB, queria fazer o mesmo movimento que o General Pinochet, que segundo ele teria feito da China uma ditadura. Pinochet, na verdade, governou o Chile, país que tem parcerias com o Brasil na América Latina.

Veja abaixo o vídeo com o Senador fazendo piada com a bancada petista:

#Governo #PT