Nesta segunda-feira (27), foi parar na internet um vídeo que denuncia um caso que aconteceu na cidade de Goiânia, Goiás. Um grupo de travestis invadiu o Fórum Doutor Heitor de Morais Fleury, localizado no leste da cidade. De acordo com elas, um homem que trabalha no local não teria pago o "programa" sexual feito com elas, e a cobrança foi bater na porta dele. Para conter a gritaria e confusão, foram chamados policiais para o local. A notícia foi publicada pelo jornal 'O Popular' e conta com um vídeo que comprova a ação.

O homem não foi identificado pela reportagem, mas, no texto, ele teria dito que foi agredido por elas, além de ter o carro quebrado pelo grupo enfurecido.

Publicidade
Publicidade

O jornal afirma que entrevistou o delegado Eli José Benício, que está investigando o caso. De acordo com o delegado, o crime está em prosseguimento e vítima fez registro de ocorrência contra o grupo de travestis por conta do carro quebrado.

O delegado afirmou também que ele, ao ver as travestis chegarem perto dele, não quis identificar quem teria cometido o crime. Eli José Benício acrescentou que as travestis assumiram que foram ao Fórum para procurá-lo por não ter pago um programa com o grupo.

O jornal também afirma que a suposta vítima da agressão das travestis irá passar por exames de corpo de delito. Elas, contudo, não conseguirão o dinheiro de volta, já que se tornaram réus de um crime, mesmo após dizer que levaram o "calote".

O site do "O Popular" acrescentou à matéria uma nota da assessoria de imprensa do Fórum.

Publicidade

No texto, o jornalista responsável escreveu que elas foram retiradas por não usarem roupas adequadas para o local, agindo agressivamente.

Assista ao vídeo divulgado pelo site de notícias.

Vanessão "fintchy reais"

O caso causou muita comoção na internet. Algumas pessoas reclamaram que o homem que teria dado o "calote" acabou levando a melhor, já que está levando as travestis para a Justiça. Outros, apenas tiraram sarro, relembrando o caso de "Vanessão", uma travesti que ganhou fama após ser gravada em uma reportagem em uma delegacia. Na época, ela foi detida por arrumar briga por uma dívida de R$ 20.

Confira:

#Casos de polícia #Homofobia #LGBT