As polêmicas da Vila Olímpica do Rio de Janeiro já se tornaram notícias corriqueiras no Brasil e continuam a gerar grandes repercussões negativas internacionalmente. Os organizadores do evento, inédito no Brasil, e também na América do Sul, precisam correr em ritmo alucinante para que os contratempos não prejudiquem os atletas e suas delegações.

Isso porque, no início da semana, ao desembarcarem na Vila Olímpica, vários países se depararam, segundo eles, com apartamentos em péssimas condições de uso.

Uma das delegações que mais se queixou foi a Australiana que deixou a Vila Olímpica e se hospedou em hotéis da região, alegando ter encontrado vários problemas de vazamentos, encanamentos expostos, instalações elétricas decadentes e forte cheiro de gás.

Publicidade
Publicidade

A promessa de Eduardo Paes 

O Prefeito do Rio de Janeiro, Eduardo Paes, em comunicado a impressa, garantiu que os reparos seriam feitos e que todos os atletas da Austrália sairiam satisfeitos e que, se preciso fosse, "colocaria até cangurus pulando na porta de entrada para recepcioná-los", disse em tom de brincadeira.

No entanto, a delegação Australiana não achou nenhuma graça em tal comentário, o que resultou em (mais) repercussão internacional negativa.

O diretor de comunicações da delegação da Austrália, Mike Tancred, na ocasião, sentindo-se indignado com a brincadeira, declarou que estavam sendo acusados de criar confusão.

Hoje, às 13 horas, o prefeito Eduardo Paes, pessoalmente, entregará novamente as chaves dos apartamentos reformados para a delegação Australiana e Mike Tancred promete devolver a brincadeira, entregando cangurus de pelúcias como souvenirs ao Prefeito.

Publicidade

A lista de reclamações é grande

Além de toda a polêmica com a delegação Australiana, outros países também relataram problemas em seus apartamentos. Os pontos reclamados são quase que uma unanimidade entre as delegações: forte cheiro de gás, banheiros entupidos, apartamentos sem energia elétrica, sem lâmpadas e sem chuveiros, além de muito lixo espalhado em espaços que deveriam ser utilizados para o depósito de equipamentos esportivos.

Com uma lista de reclamações tão grande, operários estão trabalhando 24 horas por dia, para sanar os problemas.

Segundo Rodrigo Tostes, um dos organizadores das Olimpíadas no Brasil, em nenhum empreendimento no mundo, pessoas se mudam de uma vez e que os defeitos são proporcionais ao tamanho da obra. 

O Ministro Elizeu Padilha disse, em entrevista coletiva, que os problemas são apenas pontuais.

Na contramão de todos os reclamantes e reclamados, ontem, a delegação Canadense elogiou a Vila Olímpica.  #Crise #Jogos #Rio2016