Até onde vai a criminalidade? Uma família da Bahia provavelmente se pergunta isso. Nesta sexta-feira, 22, familiares se despediram de uma criança de oito anos, um menino. Ele foi morto após ser espancado por dois homens. A violência ocorreu durante um assalto no sul do estado. No momento do #Crime, o garoto estava com o pai, de 49 anos. Ambos estavam em uma motocicleta. Os assaltantes, de acordo com informações do G1 em matéria publicada neste sábado, 23, teriam quinze e dezesseis anos. Depois de espancar o garotinho, os bandidos fugiram com a moto do pai dele. A Polícia foi rápida e encontrou a dupla na mesma data do crime. Os dois agora podem ter todo o auxílio dos Direitos Humanos.

Publicidade
Publicidade

Por serem menores de idade, podem até passar por tratamento psicológico bancado pelo estado, ou seja, custeado por todos nós. Infelizmente, o mesmo tratamento não é dado à muitas famílias de crimes como esse.

Após o assalto, o pai e o filho foram ajudados por um homem. O socorro ocorreu por um motorista que passou minutos depois pelo local. De acordo com a delegacia que cuida do caso, eles foram encaminhados para o Hospital Municipal deTeixeira de Freitas, mas o menino não resistiu aos ferimentos. O pai dele ainda luta pela vida. Ele segue internado no mesmo hospital. Não se sabe ainda se o pai sabe da morte do filho, mas a Polícia teria dito ao G1 que o estado dele é grave. Em situações assim, a vítima costuma sequer estar acordada, mas sim respirando com a ajuda de aparelhos.

Publicidade

A Polícia acredita que os dois bandidos menores de idade realizaram o ato usando um capuz. Encapuzados, eles ficaram escondidos no meio do mato, quando viram as vítimas passarem e fizeram a abordagem. A polícia diz que o pai com o filho foram derrubados da motocicleta com um chute. Em seguida, eles foram levados para o meio do matagal, onde foram feridos gravemente. Após o espancamento, os bandidos deixaram os corpos no local. 

Os adolescentes ainda não explicaram porque decidiram espancar para matar o pai e uma criança de oito anos.  #Investigação Criminal