Na manhã desta terça-feira, 19, o Brasil todo foi surpreendido com a notícia de que o aplicativo mais usado do país, o WhatsApp seria bloqueado novamente.

Tudo porque a juíza Daniela Barbosa de Souza, da 2ª Vara Criminal da Comarca de Duque de Caxias do Rio de Janeiro, determinou o bloqueio após a empresa se recusar novamente em cooperar na tramitação de algumas investigações criminosas.

Segundo a Folha de São Paulo, a juíza enviou um oficio à empresa responsável pelo aplicativo, solicitando a quebra de sigilo de informações trocadas pelo app para investigações criminais. No entanto, ela foi surpreendida com uma resposta enviada por e-mail totalmente redigido em inglês, onde Souza considerou que o #WhatsApp faltou com respeito e com "total desprezo às leis nacionais...".

"e-mail redigio em inglês, como se esta fosse a língua oficial deste país...", diz a juíza a Folha, concluindo que a empresa agiu de "total desprezo às leis nacionais, inclusive porque se trata de empresa que possui estabelecida filia no Brasil".

Publicidade
Publicidade

A magistrada diz ainda que a companhia pede que ela responda algumas perguntas em inglês, atitude esta que, segundo a juíza, o WhatsApp tem tratado o Brasil como uma "republiqueta".

Anonymous age contra o bloqueio do WhatsApp derrubando o site da Justiça do Rio

Depois das 13h, as companhias telefônicas como a Vivo, Claro, Oi e outras, começaram a bloquear o acesso do WhatsApp, cumprindo a determinação da #Justiça do Rio de Janeiro.

Logo após o bloqueio, o grupo de hackers, conhecido como Anonymous derrubou o site da Justiça do Rio, como resposta ao bloqueio do WhatsApp.

Segundo o Olhar Digital, o grupo orquestrou um ataque contra o site do Tribunal de Justiça do Estado do Rio de Janeiro, jurisdição de onde partiu a ordem que suspendeu o app.

O grupo Anonymous, fez um ataque conhecido como DDoS, que gerou um tráfego excessivo ao endereço da TJ-RJ, simulando o acesso de milhares de pessoas ao site, que acabou sobrecarregando os servidores onde é hospedado, o que acabou derrubando a página, o grupo chamou essa  ação como "OpStopBlocking".

Publicidade

"A balança da justiça hoje equilibra-se com o crime de um lado e o dinheiro do outro. Eis que aqui repetimos o gesto de V, na destruição de um símbolo que há tempos desvirtuou-se. Quem sabe, um dia, a justiça e a liberdade, irmãs siamesas, condenadas a viver separadas, voltarão a juntar-se bem de perto, costas com costas. No lugar de pólvora, bits", disse o grupo no anúncio do ataque. #Governo