O senador Romário, eleito pelo #PSB do Rio de Janeiro, confirmou nesta quinta-feira, 21, que não será mais candidato à prefeitura da cidade que recebe no mês que vem os jogos olímpicos. Ele era um dos nomes favoritos ao pleito municipal. A decisão apareceu depois do nome de Romário não provocar o reboliço esperado nas pesquisas eleitorais. Um dos possíveis motivos que estaria desagradando o eleitor local foi a titubeada dele durante o processo de impeachment da presidente afastada Dilma Rousseff, do Partido dos Trabalhadores (PT). O anúncio da desistência foi feita pelo presidente do PSB, Carlos Siqueira. Outros nomes da legenda também participaram da coletiva, que encontrou na Zona Sul do Rio de Janeiro.

Publicidade
Publicidade

De acordo com o comunicado, Romário ainda deixará a presidência dos diretórios estadual e municipal do Rio de Janeiro. Não foi explica o porquê da decisão. No lugar do Senador, quem assumirá o comando do PSB na região é Hugo Leal. Farias também tinha deixado recentemente a participação na Comissão do impeachment sem dar maiores explicações. Agora é esperado que o Senador apoie alguém nas eleições. Um dos possíveis nomes é o do ex-Senador Marcelo Crivella, do PRB, que foi segundo  lugar nas últimas eleições para governador. 

O PSB ainda informou que não tem qualquer problema com o seu Senador mais votado, mas que o "baixinho" acabou atrasando a busca de alianças na região, mesmo tendo lançado a pré-candidatura há cerca de um mês. Essa é uma das eleições que terá mais candidatos na região.

Publicidade

A maioria das legendas fortes terá candidato próprio, assim como acontece em São Paulo. Uma das explicações para isso é o forte descontentamento da população, que pode pulverizar os votos. Isso faria com que um candidato não tão forte, por exemplo, tivesse chances de chegar ao segundo turno. 

Nas redes sociais, muita gente comemorou a decisão de Romário, achando que ele precisa de mais experiência para comandar uma cidade como o Rio de Janeiro. Já outros acharam estranha a desistência após a pré-candidatura.  #Governo #Rio2016