Neste domingo, 24, o revezamento da Tocha Olímpica começou na maior cidade do país, São Paulo. Ainda às 7h40 a primeira pessoa começou a festa que representa os jogos no parque da Independência, no museu do Ipiranga. Um dos que levou o símbolo do evento foi o ex-jogador do Corinthians Casagrande. Atualmente, o ex-atleta faz comentários esportivos na Rede Globo de Televisão. A premiação de levar a tocha ocorre poucos dias depois dele dar uma polêmica entrevista ao Pânico no Rádio. Ao vivo, ele falou sobre suas convicções religiosas e disse que "Deus" não era "tão bom assim". Ainda na conversa, Casagrande afirmou categoricamente que acreditava no satanismo.

Publicidade
Publicidade

Polêmicas declarações em programa de rádio

O ex-jogador que quase morreu por conta do uso de drogas, mas que deu a volta por cima, ainda firmou que era fã de histórias de demônios e que leu diversos livros sobre o satanismo. Ele chegou até a fazer uma homenagem a esse tipo de espírito em um time de futebol que fundou na várzea. O símbolo que aparecia nas partidas era o de uma caveira. Rapidamente, o assunto causou grande impacto nas redes sociais. Extraoficialmente, comenta-se nos bastidores que ele chegou a ser afastado do futebol na Globo por conta dessas convicções, para poupar sua imagem. A emissora, no entanto, jamais confirmou essa informação. 

Polêmica da tocha olímpica por todo o país

Desde que o revezamento começou, diversas cidades do país estão fazendo protestos contra o símbolo da Olimpíada.

Publicidade

Nesse fim de semana, por exemplo, um homem chegou a tentar roubar a tocha. Em outras oportunidades, no entanto, vimos gente mais afoita a ter outra solução contra os jogos, apagar as chamas. Diversas delas bem que tentaram. Algumas chegaram a jogar água, outras tentaram um extintor de incêndio, mas nenhuma delas conseguiu o feito. Pelo contrário, muitas foram até parar na cadeia. Para sair dessa, eles precisam pagar uma alta fiança, de em média um mil reais.

É para evitar esse tipo de ação que o governo e o comitê olímpico contam com a ajuda de homens da Força Nacional.  #Crime #Rio2016