As críticas contra a cidade do Rio de Janeiro continuam na internet. Neste domingo, 24, foi a vez de um lutador de jiu-jistu da Nova Zelândia relatar momentos de terror que sofreu na cidade que recebe a Olimpíada. O relato foi feito através do Facebook  por Jayson Lee, que é conhecida como Jay. Na rede social, ele informou que sofreu um sequestro relâmpago por supostos policiais militares. O estrangeiro relatou que os homens que o atacaram usavam fardas militares. Em seguida, ele foi obrigado a entrar dentro de um veículo e rodar pela cidade através de caixas eletrônicos. Em cada parada, mais dinheiro era sacado. 

No Twitter, o atleta que não competirá na Olimpíada ironizou os jogos e disse que o que de bom aconteceu em seu dia na cidade foi um sequestro.

Publicidade
Publicidade

É preciso lembrar que o jiu-jitsu não é uma das modalidades de luta que pertencem atualmente os jogos, apesar da federação da luta tentar convencer constantemente a entrada. O #Crime contra o atleta da Zona Zelândia teria ocorrido neste sábado, 23. De acordo com ele, a ação foi realizada apenas vinte minutos depois dele chegar à cidade. 

O esportista se encaminharia para uma competição do seu esporte na cidade de Resende, que fica na região Sul do estado, mas não informou se os seus planos seriam alterados por conta do incidente. Ainda no Facebook, Lee deu mais detalhes sobre como tudo aconteceu. Ele começa falando que foi assaltado e sequestrado por policiais que usam o uniforme completo da Polícia Militar. O "gringo" diz que os PMs revelaram que se ele não colaborasse, ele seria preso. 

Em seguida, ele foi colocado em um carro particular com os supostos policiais, que estariam fortemente armados.

Publicidade

O dinheiro, de acordo com o atleta, seria uma forma de suborno da PM carioca. Ele então foi levado a diversos caixas, nos quais uma grande soma em dinheiro foi retirada. O lutador ainda desabafou ao relembrar os momentos de terror que passou na cidade, revelando que não sabe o que é pior, o fato dos policiais fazerem isso com estrangeiros em meio aos jogos olímpicos ou a sociedade brasileira deixar que atos de corrupção acontecessem.  #Investigação Criminal